Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que novas sanções dos EUA sobre Irã miram líder supremo

O presidente norte-americano, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que os Estados Unidos estão impondo novas sanções sobre o Irã, em meio a uma escalada nas tensões entre os dois países.
Por Steve Holland | Reuters 
WASHINGTON: Trump disse a repórteres que as sanções, que têm como alvo o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, são em resposta à derrubada de um drone norte-americano na semana passada.

‘Travado no F-16’: mensagem de rádio do piloto da IAF antes de ejetar do MiG-21

“R-73 selecionado”, foi a última transmissão de rádio do Wing Commander Abhinandan Varthaman de seu caça MiG-21 “Bison”. Em seguida, ele lançou o míssil ar-ar Vympel R-73 contra o caça paquistanês F-16 em sua mira antes de ser derrubado.


Poder Aéreo

NOVA DELI: O confronto em alta altitude entre caças supersônicos indianos e paquistaneses, após os últimos terem rompido o espaço aéreo indiano a oeste de Rajouri, na área de Sunderbani, por volta das 10h da manhã de 27 de fevereiro, paralisou a nação indiana. O “dogfight” terminou com Varthaman sob custódia do Paquistão depois de cair de paraquedas na Caxemira ocupada pelo Paquistão.


MiG-21 Bison
MiG-21 Bison indiano | Reprodução

Um dia após os ataques aéreos da IAF contra instalação terrorista de Balakot na região de Khyber-Pakhtunkhwa, o Paquistão tentou retaliar com o desdobramento de jatos F-16, JF-17 e Mirage 5 em um “grande pacote de ataque” para atingir instalações militares indianas através da LoC (Linha de Controle), incluindo o quartel-general da brigada em Bhimber Gali até um depósito de munições em Narian.

Varthaman estava entre os seis pilotos de MiG-21 que saíram de Srinagar, além dos Sukhoi Su-30MKIs, Mirage 2000s e MiG-29, sendo enviados de outras bases aéreas para interceptar os caças paquistaneses. “Sabíamos que eles reagiriam depois de nossos ataques com Balakot, mas não esperávamos que eles retaliassem tão cedo”, disse um oficial.

Os caças rivais logo se perseguiam na dogfight que se seguiu, com toda a batalha aérea durando cerca de 15 minutos do começo ao fim. Varthaman em seu MiG-21, que tem um projeto da década de 1960, conseguiu “travar” em um F-16 paquistanês muito mais moderno. Em tais condições de combate aproximado, o míssil R-73 de curto alcance é preferido em relação aos mísseis ar-ar de médio e longo alcance RVV-AE, também empregados nos MiG-21.

“O R-73 é melhor nesse tipo de combate aproximado. Esta é provavelmente a primeira vez que um MiG-21 de origem russa derrubou um F-16 americano em qualquer lugar do mundo ”, disse outro oficial. O Paquistão, é claro, negou que tenha colocado F-16s na invasão aérea, e que tenha perdido um dos aviões.

Mas os radares da IAF captaram “assinaturas eletrônicas” dos F-16s. Para encerrar o caso, as forças indianas recuperaram partes de um míssil ar-ar de médio alcance AIM-120C (AMRAAM), que equipa apenas o F-16 na frota de combate do Paquistão, do leste de Rajouri em J&K.

“Os caças da IAF conseguiram frustrar a tentativa de caças paquistaneses de atacar instalações militares indianas por meio de bombas guiadas a laser. As bombas caíram em compostos de formações do Exército indiano, sem causar nenhum dano significativo, devido à rápida resposta da IAF ”, disse outro oficial.

FONTE: The Times of India

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas