Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Visita de equipe da ONU à Venezuela pode abrir caminho para missão oficial no país

Uma equipe de direitos humanos das Nações Unidas dará início a uma visita oficial à Venezuela na segunda-feira a convite do governo, possivelmente abrindo caminho para uma missão oficial em Caracas conduzida pela alta-comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet.


ONU

Cinco membros da equipe irão viajar pelo país de 11 a 22 de março, afirmou nesta sexta-feira (8) o escritório de direitos humanos da ONU (ACNUDH), em meio a uma crise prolongada por conta de uma economia sem força, instabilidade política e violentas manifestações contra o governo.

Refugiados e migrantes venezuelanos atravessam a ponte Simon Bolívar rumo à Colômbia, um dos sete pontos de entrada legal da fronteira entre os dois países. Foto: ACNUR/Siegfried Modola
Refugiados e migrantes venezuelanos atravessam a ponte Simon Bolívar rumo à Colômbia, um dos sete pontos de entrada legal da fronteira entre os dois países. Foto: ACNUR/Siegfried Modola

O anúncio segue um convite inicial feito em novembro pelo presidente Nicolás Maduro à alta-comissária Bachelet. O convite foi reiterado pelo ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, na atual sessão do Conselho de Direitos Humanos, em Genebra.

“Durante sua visita, a equipe irá buscar se encontrar com autoridades do governo, representantes da Assembleia Nacional, organizações da sociedade civil e vítimas de violações de direitos humanos”, afirmou o ACNUDH em comunicado. “A equipe irá visitar Caracas, assim como outras cidades em uma série de departamentos (estados) da Venezuela”.

“Prática padrão” antes de visita da alta-comissária


O Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos acrescentou que o envio de uma equipe técnica é “prática padrão” antes de uma possível visita da alta-comissária.

Isto serve para garantir que Bachelet tenha “acesso irrestrito às pessoas e aos lugares que irá precisar visitar para conseguir ter um claro entendimento da situação de direitos humanos no país”, explicou o escritório em comunicado.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas