Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Análise: exercícios militares da OTAN comprovam militarização acelerada dos países bálticos

No dia 29 de abril, os treinamentos militares Spring Storm 2019 da OTAN tiveram início na Estônia. Segundo opina o especialista militar russo, essa república báltica representa uma prioridade para as forças do bloco militar.


Sputnik

Tropas e material bélico de países membros da OTAN chegaram à Estônia para participar dos exercícios militares em grande escala Spring Storm 2019. Conforme dados do Estado-Maior das Forças da Defesa do país báltico, mais de 9 mil militares de 13 países participarão dos treinamentos. Ademais, planeja-se usar cerca de 200 unidades de material bélico, inclusive tanques britânicos Challenger 2 e franceses Leclerc, caças alemães e britânicos Eurofighter e aviões de ataque ao solo poloneses Su-22.

Militares da OTAN durante as manobras Spring Storm na Estônia
© REUTERS / Ints Kalnins/File Photo

Nessa conexão, o diretor do Centro de Pesquisas Políticas e Militares do Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscou (MGIMO, na sigla russa), Aleksei Podberezkin, comentou, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, que nos últimos anos é possível observar uma militarização acelerada dos países bálticos, inclusive da Estônia.

"A Estônia está tentando se transformar em uma 'grande potência militar', pelo menos à escala do Báltico. Não apenas a Estônia, mas também seus vizinhos, Letônia e Lituânia, aumentaram significativamente seus gastos militares nos últimos anos. Tais gastos são completamente desproporcionados ao crescimento do PIB, ou seja, é uma militarização explícita", assegurou.

Ao mesmo tempo, o especialista destacou que os exercícios militares na Estônia são parte dos preparativos da Aliança Atlântica enfrentar a Rússia.

"Nos países bálticos está sendo preparada uma infraestrutura da OTAN, e neste aspecto a Estônia é uma prioridade para a OTAN. E se estamos falando do desenvolvimento da infraestrutura, aqui é necessário treinar o desdobramento de forças armadas, a preparação de diversas instalações para receber forças armadas, equipamentos militares, a instalação de centros de comunicação, etc.", sublinhou.

Assim, o especialista acredita que "se trata da preparação de uma infraestrutura da OTAN para enfrentar a Rússia, e a Estônia foi escolhida como uma direção crucial em caso de uma possível agressão contra a Rússia", concluiu.

Depurador de Ar Suggar 60cm Slim DI61PR - 3 Velocidades PRATA 127V

Depurador de Ar Suggar 60cm Slim DI61PR - 3 Velocidades PRATA 127V

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas