Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

EUA definem força de elite iraniana como organização terrorista

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, designou a Guarda Revolucionária do Irã como um grupo terrorista estrangeiro nesta segunda-feira, uma medida inédita que aumenta a tensão no Oriente Médio.


Lesley Wroughton | Reuters

Washington - O Irã considerou a medida ilegal e alertou inicialmente que adotaria ações recíprocas contra Washington por sua medida contra a força de elite, que é a organização de segurança mais poderosa do país. Posteriormente, o Conselho Supremo de Segurança do Irã designou as forças militares norte-americanas como organização terrorista, informou a TV estatal.

Resultado de imagem para Militares da Guarda Revolucionária do Irã durante exercícios no Golfo Pérsico
Militares da Guarda Revolucionária do Irã durante exercícios no Golfo Pérsico 22/12/2018 Hamed Malekpour/Agência Tasnim via REUTERS

É a primeira vez que os EUA identificam os militares de outra nação formalmente como um grupo terrorista.

“A IRGC é o meio principal do governo iraniano para direcionar e implantar sua campanha terrorista global”, disse Trump em um comunicado.

A designação “deixa claros os riscos de fazer negócios com, ou oferecer apoio, à IRGC”, afirmou. “Se você estiver fazendo negócios com a IRGC, estará financiando o terrorismo”.

Críticos alertaram que a decisão pode expor autoridades militares e de inteligência norte-americanas a ações semelhantes de governos hostis. Os EUA já colocaram dezenas de entidades e pessoas em listas negras devido às suas filiações à Guarda Revolucionária, mas não a organização como um todo.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, um crítico contundente do Irã, vem pressionando por uma mudança de diretriz que é parte do endurecimento do governo Trump com Teerã. Pompeo disse em uma coletiva de imprensa que a designação entrará em vigor em uma semana.

O anúncio vem pouco antes do primeiro aniversário da decisão de Trump de retirar os EUA de um acordo nuclear firmado com Teerã em 2015 e retomar sanções que prejudicaram a economia iraniana.

Criada após a Revolução Islâmica de 1979 para proteger o sistema clerical xiita, a IRGC controla muitos setores da economia e tem enorme influência no sistema político do Irã.

Ela está a cargo dos mísseis balísticos e do programa nuclear da nação – Teerã alertou que tem mísseis com alcance de até 2 mil quilômetros, o que coloca bases militares de Israel e dos EUA na região dentro de seu raio de ação.

Kit Sobrevivência (Pote) - Mundo do militar

Kit Sobrevivência (Pote) - Mundo do militar

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas