Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Mídia: Pentágono acusa Trump de incapacidade de pressionar Turquia sobre S-400

Funcionários estadunidenses estão desapontados com política de Trump relacionada à compra pela Turquia dos sistemas russos de defesa antiaérea S-400. Eles querem mudar a situação e pôr fim à autonomia dentro da OTAN.


Sputnik

Alguns funcionários do Departamento de Estado e do Pentágono criticaram em conversas privadas o presidente estadunidense Donald Trump pela incapacidade de apresentar um ultimato à Turquia pela compra dos sistemas de defesa antiaérea S-400, a ABC News citou várias fontes informadas sobre a situação.

Sistemas de mísseis russos S-400
S-400 Triumph © Sputnik / Dmitry Vinogradov

Em particular, as fontes mencionaram o vice-presidente Mike Pence, o secretário de Estado Mike Pompeo e o secretário de Defesa Patrick Shanahan, que expressaram preocupações por a Turquia comprar o sistema russo em vez do norte-americano.

Já há muito tempo que eles "avisaram a Turquia das consequências negativas da escolha do sistema S-400, que é incompatível com os sistemas da OTAN", disseram as fontes.

As fontes também relembraram que, em 22 de fevereiro, durante a conversa telefônica entre presidente turco, Recep Tayyip Erdogan e Donald Trump, o presidente turco supostamente teria criticado o Congresso dos Estados Unidos por "interferência inconstitucional" nos poderes presidenciais por causa dos sansões impostas contra a Turquia pela compra dos S-400 ao abrigo da Lei Contra os Adversários da América Através de Sanções (CAATSA, na sigla em inglês).

Trump prometeu discutir essa questão com o Congresso. As fontes acrescentaram que a resposta de Trump não foi formulada de forma a Erdogan perceber o que estaria em causa. A Casa Branca ainda não comentou o artigo da ABC News.

Na segunda-feira, falando na coletiva de imprensa depois das conversações com o presidente russo Vladimir Putin, Erdogan frisou que a decisão de comprar os S-400 era um "direito soberano" do país e que ninguém tinha direito de exigir o cancelamento do acordo com Moscou. Erdogan também reiterou sua posição que a compra dos sistemas russos era um assunto encerrado.

Anteriormente, ele apontou que os EUA falharam a apresentação de um acordo comparável ao que há com a Rússia, e acrescentou que os pagamentos serão efetuados conforme o acordo.

"Nós finalizamos o acordo dos S-400. Propusemos a compra dos sistemas Patriot aos EUA, mas eles falharam em nos apresentar uma oferta adequada. Assim, agora a aquisição dos S-400 está sendo realizada e nós esperamos suas entregas em julho", disse Erdogan.

Erdogan reiterou repetidamente o envolvimento da Turquia na compra dos sistemas russos e criticou as tentativas norte-americanas de obrigar a Turquia a quebrar o acordo. O contrato entre a Rússia e a Turquia foi assinado em dezembro de 2017.

Erdogan também insistiu que o fornecimento dos caças F-35 deve ser efetuado a tempo, tendo notado que o país já pagou pela aquisição dos caças e investiu no desenvolvimento deles.

Representantes oficiais estadunidenses já ameaçaram por várias vezes bloquear o fornecimento dos caças F-35 para a Turquia se este país comprar os S-400. Os norte-americanos têm receio que o sistema russo possa coletar dados sobre as capacidades furtivas do caça. O F-35 é um avião furtivo de quinta geração produzido pela empresa Lockheed Martin.

Avião Rafale C Fighter - HOBBYBOSS

Avião Rafale C Fighter - HOBBYBOSS

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas