Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Guiné Equatorial incorporou fragata ucraniana no lugar de corveta classe Barroso

A Marinha da Guiné Equatorial incorporou em 2014 uma nova fragata de 107 metros de comprimento que foi parcialmente construída na doca flutuante da Marinha no porto de Malabo, enquanto a nação insular continua com uma constante acumulação de energia naval.


Poder Naval

A fragata (F073), que desde então foi nomeada Wele Nzas, foi inaugurada em 3 de junho de 2014 pelo presidente Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, que declarou ser o “flagship” da Marinha da Guiné Equatorial e afirmou que o país tem planos de construir mais embarcações para garantir a segurança nacional.

Fragata Wele Nzas
Fragata Wele Nzas

“Este navio de guerra é o carro-chefe da Marinha da Guiné Equatorial e ajudará a garantir a segurança no Golfo da Guiné. Este não é o nosso último projeto. O fato de que [construímos] esse navio de guerra significa que podemos construir mais”.

O Jane’s relata que, embora o navio tenha sido modificado localmente, foi projetado pelo Centro de Pesquisa e Design de Navios em Nikolaev, Ucrânia e construído pela MTG Dolphin em um estaleiro no porto búlgaro de Varna como uma “embarcação de busca e salvamento”. A quilha foi batida em maio de 2012 e foi lançada ao mar em Varna em fevereiro de 2013.

Mais tarde, foi equipada com sistemas de combate em um estaleiro naval que se acredita ser o Astilleros de Guinea Ecuatorial (ASABA GE) na capital Malabo. O navio de 107 metros de comprimento tem um boca de 14 metros, um calado de 3,7 metros e um deslocamento estimado de 2.500 toneladas.

A fragata Wele Nzas é propulsada por quatro motores a diesel Caterpillar C280 e pode atingir uma velocidade máxima de 25 nós, com um alcance operacional total de 5.000 milhas náuticas. As armas do navio incluem dois lançadores de foguetes de canos múltiplo MS 227, canhões AK-176 de 76,2 mm que são montados à proa e popa e dois canhões AK-630M de 30 mm de defesa aproximada montados além da pilha de funil.

De acordo com o IHS Jane’s, os sistemas de sensores do navio incluem um conjunto de radares em forma de cúpula no mastro dianteiro, dois radares de navegação e um radar Delta-M no mastro da chaminé. Ele também é equipado com dispositivos eletroópticos que incluem dois designadores óticos de alvos, uma antena de medidas de suporte eletrônico (ESM) e uma antena de comunicação via satélite (SATCOM).

O navio também tem plataforma de pouso de helicópteros e transporta uma série de barcos que podem ser lançados por um turco móvel. A Guiné Equatorial já opera dois navios patrulha PV 50 e dois navios de patrulha offshore de 62 m, todos importados da Bulgária nos últimos anos.

Também opera dois barcos de ataque rápido Shaldag de fabricação israelense, designados Isla de Corisco e Isla de Annobon, e um navio de desembarque de 91,45 m que foi encomendado da China e designado Osa na entrega em 2009. O país também recebeu duas embarcações de patrulha Saar-4 em 2011, o OPV-88 Reklama (entregue em 2012 e designado Bata) e dois OPVs da classe “Kie Ntem” entregues de Israel em fevereiro de 2011.

A nação enfrenta ameaças à segurança marítima, que incluem a pirataria no Golfo da Guiné e a necessidade de garantir sua enorme riqueza em petróleo e gás offshore. Enfrenta também enormes problemas de operações internacionais de tráfico humano e de drogas.

FONTE: defenceWeb

Caiaque robalo standart - Caiaker

Caiaque robalo standart - Caiaker

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas