Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Segredos do 'avião do Juízo Final' são revelados pela Força Aérea dos EUA

Uma das aeronaves da chamada frota do "Juízo Final" se tornaria temporariamente um "Centro Nacional de Operações Aéreas" caso haja uma guerra nuclear, com o Comando Militar dos EUA sustentando e controlando as operações no mundo para eventualmente evitar consequências nucleares.


Sputnik

Recentemente, o secretário interino de Defesa dos EUA, Patrick Shanahan, partiu para uma viagem pela Ásia, com o objetivo de visitar a Indonésia, Singapura, Coreia do Sul e Japão.

Avião Boeing E-4B, também conhecido como avião do Juízo Final (foto de arquivo)
Boeing E-4B Nightwatch | CC BY 2.0 / Base aérea de Offutt / 090617-F-7797P-004.jpg

Mesmo assim, durante a viagem, ele não perdeu contato com as forças dos EUA em terra, no ar ou no mar, já que a aeronave fornece os recursos necessários para isso. O famoso Boeing E-4B Nightwatch, também conhecido como "avião do Juízo Final".

"Isso é ótimo, mas eles continuam me dando mais trabalho. O trabalho nunca para", brincou Shanahan durante entrevista à emissora CNBC.

O avião E-4B foi apelidado de tal forma por servir como um "Pentágono alternativo" no caso de uma guerra nuclear, informou um dos tripulantes, acrescentando que ao menos um dos quatro aviões está sempre pronto para decolar "24 horas, sete dias por semana".

A aeronave, bem como seus equipamentos, é blindada para suportar as consequências de uma explosão nuclear. Enquanto que as janelas da cabine são protegidas contra radiação.

Além disso, o avião é blindado contra pulso eletromagnético (EMP), que decorre de uma explosão nuclear. Já seus equipamentos a bordo são mantidos na era pré-digital para não serem afetados.

"Isso é um equívoco comum, mas o avião não possui monitores digitais na cabine ou em qualquer outro lugar […]", afirma um membro da tripulação, ressaltando que o avião é praticamente analógico, pois a tecnologia digital seria perdida durante uma guerra nuclear.

Em momentos pacíficos, o E-4B permite que Shanahan permaneça conectado e "nunca fique fora de nada" em relação à situação no solo. O avião também conta com um conjunto de aproximadamente 67 antenas e satélites para operar como um "centro de comando aéreo".

O E-4B Nightwatch da Boeing operou pela primeira vez em 1974 e desde então é atualizado, tendo uma vida útil estimada para até 2039.

Aviao Grumman E-1 TRA-CER - USS Constellation - GIIC

Aviao Grumman E-1 TRA-CER - USS Constellation - GIIC

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas