Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Japão revela causa da queda de caça F-35A

A causa do acidente de um caça furtivo F-35A da Força Aérea de Autodefesa do Japão no início de abril no oceano Pacífico, ao largo da costa da ilha do norte de Honshu, foi desorientação do piloto, informa agência Kyodo.


Sputnik

De acordo com a agência, o piloto do avião ficou desorientado, nomeadamente, perdendo controle da altitude e posição. A conclusão foi feita com base na análise de informações do radar e registros das conversas entre pilotos dos caças que estavam realizando voo de treinamento com o avião que caiu.

Caça F-35 (foto de arquivo)
F-35 Lightning II © AP Photo / Rick Bowmer

Dados mostraram que o piloto de 41 anos não tentou se ejetar, o que indica que ele já estava desorientado antes de se acidentar. Os resultados da investigação foram publicados pelo ministro da Defesa do Japão, Takeshi Iwaya, durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (10). Ao mesmo tempo, ele enfatizou que Tóquio não planeja abrir mão dos caças F-35A no futuro.

"Pretendemos fortalecer o treinamento para evitar que pilotos percam orientação espacial e fornecer explicações detalhadas aos moradores locais antes de tomar a decisão de reaver os voos", destacou.

Um F-35A da Força Aérea de Autodefesa do Japão caiu no dia 9 de abril, e seus destroços foram encontrados no oceano Pacífico, perto da prefeitura de Aomori. O piloto foi dado como desaparecido. No início de maio, um gravador digital de dados de voo do caça foi retirado do fundo do mar, mas estava muito danificado para serem resgatadas gravações.

Pouco depois, militares japoneses descobriram um fragmento do motor e uma asa de um caça multifuncional que tinha sido severamente danificado. No início de junho, a busca pelos fragmentos restantes da aeronave havia parado.

Tablet DL Creative Tab com Headphone 8GB 7” Wi-Fi - Proc. Quad Core Android 7.1 Câmera Integrada

Tablet DL Creative Tab com Headphone 8GB 7” Wi-Fi - Proc. Quad Core Android 7.1 Câmera Integrada

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas