Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Crise política brasileira não deve afetar negociação sobre sistema de defesa russo Pantsir

O vice-diretor da exportadora de armas russa Rosoboronexport, Serguei Goreslavski, afirmou que a crise política do Brasil não teve repercussão nas negociações sobre o sistema de defesa antiaérea Pantsir-S1. 


Sputnik

"A complicada situação política no Brasil não afetou nossas negociações", disse Goreslavski.


Pantsir-S1
Pantsir S-1 © Sputnik/ Sergei Subbotin


Segundo ele, em abril, a empresa russa enviou uma resposta preliminar às Forças Aéreas brasileiras sobre a solicitação de proposta para a compra dos Pantsir-S1. "Agora estamos esperando um convite para uma negociação cara a cara", disse.

A assinatura do contrato para a compra de Pantsir-S1 foi já adiada por alguns anos. Inicialmente, o Brasil propôs adquirir essas armas para reforçar a segurança durante a celebração da Copa do Mundo de 2014. 


O sistema de artilharia antiaérea móvel, armado com sofisticados mísseis superfície-ar Pantsir-S1, representa a continuação do desenvolvimento do complexo Tunguska-M1. As suas capacidades de combate podem lidar com todos os tipos de veículos aéreos tripulados e não tripulados modernos, incluindo armas aéreas de precisão localizadas a bordo. É produzido pela Rostec e exportado pela Rosoboronexport, braço de exportação de produtos militares do conglomerado russo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas