Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

'Capaz de apagar países da face da Terra': analista sobre lançamentos de submarino russo

O submarino russo Yuri Dolgoruky lançou com êxito quatro mísseis balísticos Bulava. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, especialista militar destacou a importância do acontecimento.


Sputnik

Na terça-feira (22), o submarino estratégico da Frota do Norte russa, Yuri Dolgoruky, do projeto 955 Borei, lançou com sucesso quatro mísseis balísticos Bulava a partir do mar Branco. Todos os mísseis atingiram seus alvos no polígono de Kura, na península de Kamchatka.


Lançamento de mísseis Bulava
Lançamento do míssil Bulava © Foto : Russian Defense Ministry

Segundo o ministério, a embarcação realizou os disparos de posição submersa. As metas das manobras foram cumpridas, já que a tripulação do submarino demonstrou "alto nível de profissionalismo e de capacidades militares".

Além disso, o ministério russo frisou que o lançamento de uma salva com tal número de mísseis foi levado a cabo por um submarino do projeto 955 pela primeira vez.

Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, Viktor Litovkin, analista militar e coronel aposentado, frisou a importância do lançamento.

"Trata-se não somente de uma demonstração do poder do próprio submarino, seus mísseis, mas também da capacidade de os nossos cruzadores submarinos realizarem lançamentos de salvas. Dos dezesseis mísseis, quatro foram lançados e atingiram alvos no polígono de Kura em alguns minutos. Para o provável adversário, é um aviso muito sério de que a frota submarina russa é altamente eficaz", comentou.

"É preciso levar em consideração que cada míssil Bulava é capaz de portar até dez ogivas, quatro mísseis carregam quarenta ogivas. Um tal ataque é capaz de apagar da face da Terra muitos países da OTAN e até causar danos irrecuperáveis aos EUA", destacou o analista.

De acordo com Litovkin, os testes do Bulava também lançam um aviso indireto a possíveis adversários da Rússia, demonstrando que a Marinha russa está muito bem preparada e protege com segurança os interesses e a soberania do país.


Comentários

Postagens mais visitadas