Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Delegação da oposição síria chega a Astana para nona rodada de negociações

Uma delegação da oposição armada da Síria chegou nesta terça-feira a Astana para participar da nona rodada de negociações sobre a solução do conflito no país, que começou ontem na capital do Cazaquistão e na qual não participam representantes dos Estados Unidos.


EFE

Astana - "Representantes da oposição armada da Síria chegaram a Astana esta manhã. A delegação está composta por 24 pessoas", afirmaram fontes do Ministério das Relações Exteriores cazaque.

Imagem relacionada
Astana, Cazaquistão | Reprodução

A delegação inclui "praticamente todos os atores principais" da oposição que representam "Idlib e outras zonas de conflito", explicou Aydarbek Tumatov, diretor para a Ásia e a África da chancelaria cazaque.

Representantes do governo sírio e da oposição armada negociam no processo de Astana com a intermediação dos três países fiadores do cessar-fogo - Rússia, Turquia e Irã - que está em vigor há quase um ano e meio no país árabe.

Tumatov acrescentou que o Cazaquistão pode sediar novas negociações sobre a Síria, em referência a um possível Astana-10, pois "há um entendimento sobre a necessidade de realizar outras rodadas de conversas, talvez mais de uma".

Quanto a ausência de representantes dos Estados Unidos nas consultas, o diplomata descartou que esta circunstância possa influenciar no processo negociação.

"Os países fiadores estão participando. Agora tudo depende deles. Além disso, participam representantes da oposição síria e do governo. Todas as forças estão aqui, o que mais é necessário?", disse.

Esta tarde, Rússia, Turquia e Irã apresentarão uma declaração final com os resultados da nona rodada de consultas em Astana.

A principal conquista do processo de Astana foi a criação de quatro zonas de distensão na Síria - nas províncias de Idlib, Homs, Ghouta e na fronteira com a Jordânia - territórios nos quais está proibida qualquer atividade militar, inclusive voos de aviões.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas