Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

EUA têm medo que Rússia e China 'enganem' seus satélites espiões

A Marinha dos EUA lançou um projeto de pesquisa com objetivo de descobrir se Rússia e China são capazes de camuflar seus armamentos e escondê-los dos satélites e drones de reconhecimentos norte-americanos.


Sputnik

Segundo escreve o jornal The National Interest, drones de reconhecimento podem transferir grande fluxo de informação, inclusive imagens de tanques e sistemas de mísseis. Para analisar tal volume de dados é necessário ter inteligência artificial, mas esta pode ser facilmente enganada. Por exemplo, um computador pode confundir um tanque russo bem camuflado até com um carro.

Satélite no espaço (imagem referencial)
CC0 / Pixabay

Portanto, a Marinha dos EUA tenciona descobrir o método usado para iludir a inteligência artificiai, escreve o jornal.

"Tecnologias eficazes devem causar erros na classificação de imagens tiradas de diferentes ângulos (+/- 45º) e distâncias (de 25 metros até ao espaço)", destacam fontes na Marinha dos EUA.

Atualmente a investigação está apontada apenas aos métodos de camuflagem dos adversários — não há sinais que indiquem que o Pentágono também deva esconder seu arsenal dos sistemas russos e chineses, sublinha.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas