Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Fragata russa joga de gato e rato com porta-aviões norte-americano (VÍDEO)

O porta-aviões USS Harry S. Truman, que lidera um grupo de ataque naval dos EUA no Mediterrâneo, está sendo escoltado pelo navio-patrulha russo Yaroslav Mudry.


Sputnik

Segundo as imagens publicadas pelo canal de televisão britânico ITV, a fragata russa é totalmente visível a partir do porta-aviões. Os jornalistas também ouviram as conversas de rádio entre os tripulantes dos dois navios que, de acordo com os norte-americanos, sucedem regularmente.


O navio de patrulha russo Yaroslav Mudry
Navio-patrulha russo Yaroslav Mudry © Sputnik / Igor Zarembo

O ITV lembrou que, em 2016, quando o USS Harry Truman também estava na parte oriental do Mediterrâneo, o destróier USS Gravely (DDG-107), que integrava seu grupo de ataque, se aproximou perigosamente do Yaroslav Mudry, cruzando sua rota a uma distância perigosa. O Ministério da Defesa da Rússia declarou que o destróier USS Gravely violou as regras internacionais de prevenção de colisões de navios. Desta vez, tudo aconteceu educadamente e sem problemas.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas