Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Gorbachov chama EUA para retomar diálogo com a Rússia sobre armas nucleares

O último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachov, pediu que os Estados Unidos retomem um "diálogo sério" com a Rússia sobre o problema das armas nucleares e alertou contra as "perigosas tendências destrutivas" na política mundial, em artigo publicado nesta quarta-feira no jornal "Vedomosti".
EFE

Moscou - Após constatar uma ruptura da comunicação entre Moscou e Washington, o ex-líder soviético se dirigiu em particular aos congressistas americanos para pedir que deixem de lado suas diferenças partidárias para facilitar um "diálogo sério" entre ambos os países.


"Estou convencido de que a Rússia está preparada (para o diálogo)", ressaltou Gorbachov, que manifestou preocupação com a suspensão, primeiro pelos EUA e depois pela Rússia, do Tratado de Eliminação dos Mísseis de Médio e Curto Alcance (INF), que ele assinou em 1987 com o então presidente americano, Ronald Reagan.

Gorbachov apontou que por trás da decisão de Washington de deix…

Guterres e Trump conversaram sobre Oriente Médio e Península Coreana

Reunião em Washington também destacou reforma das Nações Unidas; Banco Mundial e ONU lançaram acordo sobre ações para alcançar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.


Alexandre Soares | ONU

O secretário-geral das Nações Unidas reuniu-se esta sexta-feira na Casa Branca com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

António Guterres e Donald Trump na Casa Branca | Casa Branca

No encontro em Washington, os dois líderes falaram da situação no Oriente Médio, na Península Coreana e da reforma das Nações Unidas. Guterres agradeceu os EUA pelo envolvimento contínuo no trabalho da organização.

Colaboração

Guterres deixou a Casa Branca para assinar um acordo de cooperação com o Banco Mundial para cumprir a Agenda 2030. O Quadro de Parceria Estratégica foi firmado com o presidente da instituição, Jim Yong Kim.

Em nota, a ONU e o Banco Mundial afirmaram que o acordo “compromete as duas instituições a trabalhar em conjunto para ajudar os países a alcançar resultados mensuráveis e para transformar as suas economias e sociedades. ”

A prevenção é o tema central da parceria, que “reconhece e expande sucessos consideráveis do passado e colaborações presentes. ”

Segundo a nota, as organizações vão centrar-se “em prioridades selecionadas em conjunto e usando áreas complementares e sinergias institucionais, alargando assim o seu impacto. ”

O acordo identifica quatro áreas de cooperação: finanças e implementação de apoio aos países para atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, ação decisiva para as mudanças climáticas, trabalho conjunto em cenários de crise e de ajuda humanitária, e, por fim, utilização de informação para melhorar os resultados do desenvolvimento.

Acompanhamento

A nota diz que é preciso “trabalhar com a agilidade necessária para um contexto que muda rapidamente, adaptando-se a tendências motivadas pela tecnologia e outros temas de fronteira que podem mudar a forma como se trabalha. ”

Grupos técnicos das duas organizações vão trabalhar para assegurar a implementação destes compromissos.

O acordo estabelece que as lideranças da ONU e do Banco Mundial se devem reunir todos os anos para avaliar a parceria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas