Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Hezbollah: Ataque de míssil da semana passada foi resposta à agressão de Israel na Síria

Hezbollah informou nesta segunda-feira que o ataque da semana passada foi resposta às ações de Israel da Síria.


Sputnik

Na semana passada, aviões de guerra israelenses atacaram supostas posições iranianas na Síria, disparando dezenas de foguetes contra o território sírio. Jerusalém alegou resposta aos supostos disparos realizados por iranianos a partir do território sírio.


Líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah
Líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah © AFP 2018 / Anwar Amro

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, 28 caças israelenses F-15 e F-16 realizaram os ataques, disparando mais de 60 mísseis ar-terra. Metade dos mísseis foi derrubada. Israel também disparou mais de 10 mísseis táticos terra-terra.

O líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah, afirmou que o ataque da semana passada ao território de Israel, nas Colinas de Golã, marcou o início de um "estágio completamente novo", informou a Reuters.

O Hezbollah é um movimento xiita baseado no Líbano, fundado na década de 1980 e que tem se envolvido repetidamente em conflitos militares com Israel. O grupo apoia o atual presidente sírio, Bashar Assad, que é um representante dos alauitas, uma minoria xiita síria.

O partido xiita Hezbollah é considerado pelos Estados Unidos, Israel e vários países árabes como uma organização terrorista. A União Européia também considera a ala militar do Hezbollah como uma entidade terrorista.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas