Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Mídia sugere que Pequim pode vir a construir mais 4 porta-aviões

O primeiro porta-aviões fabricado na China terminou os testes no mar nesta sexta-feira (18). Entretanto, a mídia chinesa já começou a fazer suas previsões sobre a construção de novos porta-aviões no país.


Sputnik

A embarcação, conhecida como Type 001A, zarpou do porto de origem, Dalian, na manhã de domingo (13) e durante cinco dias realizou diferentes ensaios.


O primeiro porta-aviões fabricado na China
Primeiro porta-aviões fabricado na China © REUTERS / Stringer

Segundo a televisão central chinesa, o porta-aviões efetuou com sucesso os testes previstos, tendo a tripulação verificado o estado de todos os sistemas e equipamentos do navio.

O único porta-aviões operacional da China, o Liaoning, é um navio soviético modernizado, comprado à Ucrânia, que entrou em serviço em 2012.

Em abril de 2017, o segundo porta-aviões (o primeiro de produção própria) foi lançado no mar nos estaleiros de Dalian. Sua construção havia começado em 2013. O Type 001A tem 315 metros de comprimento, 75 metros de largura, um deslocamento de 70.000 toneladas e uma velocidade máxima de 31 nós. O navio pode levar a bordo 26 caças J-15.

De acordo com a edição The Asia Times, o Exército Popular de Libertação da China precisa de seis porta-aviões para defender seus interesses na região. Os porta-aviões adicionais ajudarão a China a controlar "emergências em várias frentes" no caso do "pior cenário".

O terceiro porta-aviões poderia ser construído na próxima década, informou a edição. Entretanto, os responsáveis chineses ainda não abordaram esse assunto. A mídia estatal declarou que Pequim não planeja iniciar "a corrida armamentista de porta-aviões" com os EUA, que têm 20 porta-aviões.

Wang Yunfei, especialista naval chinês e almirante aposentado, sublinhou que o único objetivo de Pequim é "proteger a soberania da China e a integridade territorial ".

O chefe da estatal China Shipbuilding Industry Corporation (CSIC), Hu Wenming, declarou, por sua vez, que os construtores navais chineses estão prontos para o desafio.

"Já formamos uma equipe de especialistas em pesquisa, design e construção [de porta-aviões] e sua idade média é de apenas 36 anos. No futuro, se o país quiser desenvolver algum tipo de porta-aviões, temos capacidade para isso", declarou ele ao South China Morning Post.

A China levou quatro anos para construir o Type 001. Ainda não está claro quando o país pode começar a construção de mais um navio deste tipo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas