Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Unicef anuncia libertação de mais de 200 crianças-soldado do Sudão do Sul

Agência espera que 1 mil menores sejam libertados de grupos armados este ano; cerca de 19 mil crianças continuam em fileiras de forças e grupos armados no mais novo país do mundo.


Eleutério Guevane | ONU

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, considera o “início de uma longa jornada de reintegração” a soltura de 210 crianças-soldado, que decorreu na quinta-feira em Pibor, no Sudão do Sul.

Unicef quer promover o acesso das crianças recém-libertadas a ações educativas | Unicef/Marinetta Peru

O representante da agência no país, Mahimbo Mdoe, destacou que esses menores “precisarão de muito apoio em sua caminhada”.

Meninas

A maioria dos integrantes do grupo, que inclui três meninas, serviu no Spla da Oposição. Oito crianças estiveram ligadas à Frente Nacional de Salvação, NSF.

Com a cerimónia, que foi a terceira do tipo realizada este ano, sobre para 802 o total de crianças libertadas em 2018. A agência espera retirar cerca de 1 mil crianças com eventos esperados nos próximos meses.

Para Mahimbo Mdoe, “todas as vezes em que uma criança é libertada e pode retornar à sua família é fonte de grande esperança, tanto para o seu futuro como para o futuro do país”.

Reintegração

Durante o evento, as crianças foram formalmente desarmadas e receberam roupa civil. Além de passar por exames médicos, elas terão aconselhamento e apoio psicossocial como parte do programa de reintegração do Unicef e seus parceiros.

Após serem reunidas às suas famílias, elas terão direito a três meses de assistência alimentar e treino vocacional para aumentar a renda familiar e a segurança alimentar.

A agência da ONU vai promover o acesso das crianças recém-libertadas a ações educativas próprias para sua idade.

Cerca de 19 mil crianças servem em fileiras de forças e grupos armados no Sudão do Sul.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas