Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Almirante dos EUA: exercícios da OTAN na Noruega são um 'sinal' para a Rússia

Os exercícios antissubmarino da OTAN que começaram na segunda-feira (25) no norte da Noruega devem ser entendidos pela Rússia como um sinal de que Washington e Oslo estão fortalecendo a cooperação militar, declarou ao canal NRK o almirante John Richardson, comandante da Marinha dos EUA.


Sputnik

Este ano os exercícios anuais da Aliança Dynamic Mongoose estão sendo realizados perto da província norueguesa de Troms e prosseguirão até 6 de julho. Segundo os organizadores, nas manobras participam sete navios, três aeronaves de patrulha marítima e dois submarinos. Além da Noruega e dos EUA, militares da Dinamarca, Alemanha, Polônia, Holanda, Espanha e Turquia também integram as manobras.

Navios de guerra da OTAN.
Navios de guerra da OTAN © AP Photo / Gero Breloer

Segundo Richardson é normal que os EUA e Noruega desenvolvam a cooperação militar, mas isso deve ser um sinal para a Rússia.

"Eles devem considerar isso como um sinal de que estamos fortalecendo nossa parceria", disse o almirante.

Além disso, ele acrescentou que aumentou o interesse pelas regiões setentrionais, principalmente devido à mudança climática e aos problemas de segurança.

Como observou o ministro da Defesa da Noruega, Frank Bakke-Jensen, a situação de segurança na região levou à intensificação das ações da OTAN.

"Há cinco ou seis anos tudo estava tranquilo, mas agora não está mais. E isso não tem a ver apenas com a Rússia, a situação se tornou mais incerta", disse o ministro.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas