Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Analista ucraniano aponta para supremacia do exército russo frente à OTAN

O especialista militar ucraniano Igor Romanenkov, em entrevista ao canal NewsOne, afirmou que as forças armadas da OTAN e dos EUA em conjunto atuam de forma mais lenta que os militares russos.


Sputnik

De acordo com ele, durante manobras, uma unidade russa contanto com cem mil homens é capaz de efetuar manobras de avanço de maneira muito mais rápida que os militares da OTAN.

Soldado russo durante manobras táticas
Militar russo © Sputnik / Vitaly Timkiv

"O potencial da OTAN e dos norte-americanos para uma guerra rápida é inferior ao dos russos", acrescentou.

Anteriormente, a edição Politico, citando um relatório divulgado pelo Pentágono, comunicou que as forças de reação rápida dos EUA e da Europa não suportarão a pressão do exército russo caso os dois lados se envolvam em um conflito armado de grande escala.

De acordo com o documento, a comunicação por satélite, muito popular no exército dos EUA, é vulnerável perante os meios russos de guerra eletrônica.

Comentários

Postagens mais visitadas