Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Controle total: aviões espiões não abandonam fronteiras russas

O Ministério da Defesa russo informou que 12 aviões de reconhecimento estrangeiros foram detectados perto das fronteiras nacionais da Rússia na semana passada.


Sputnik

Segundo comunica o jornal das Forças Armadas da Rússia Krasnaya Zvezda, aeronaves russas tiveram que realizar manobras de intercepção ou escoltar estes aviões. Em particular, a aviação teve que levantar voo 7 vezes.

Caça multifuncional russo Su-30SM
Sukhoi Su-30SM © Sputnik / Maksim Blinov

No entanto, o jornal indica que nenhum avião espião entrou espaço aéreo do país.

O Ministério da Defesa da Rússia informa regularmente sobre aviões estrangeiros que se aproximam das fronteiras nacionais. Nessa conexão, tem reiteradamente apelado aos parceiros internacionais para que limitem tal atividade. Apesar disso, o número de voos de reconhecimento continua sendo elevado. Um dos últimos casos mais significativos ocorreu há alguns meses quando um avião espião estadunidense EP-3E foi interceptado por um caça russo Su-27. Esse incidente, qualificado por Moscou como "normal e absolutamente legítimo" foi considerado "perigoso" por Washington, destacando que tais ações podem provocar "consequências catastróficas".

Por sua vez, Moscou afirmou que o avião de vigilância dos EUA estava seguindo em direção ao espaço aéreo russo e destacou que "todas as providências necessárias" foram tomadas para evitar uma situação arriscada.

De acordo com dados do Ministério da Defesa russo, no ano passado aeronaves russas realizaram mais de 294 manobras de intercepção, equivalentes a uma média semanal de 5,6.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas