Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

EUA adotam projeto de orçamento de defesa que exclui Turquia do programa dos caças F-35

O Senado dos EUA adotou nesta segunda-feira (18) a versão do projeto de orçamento de defesa para 2019 que prevê a suspensão da participação da Turquia no programa de produção do caça F-35 de quinta geração. A exclusão está ligada às intenções turcas de comprar o sistema russo de mísseis de defesa aérea S-400.


Sputnik

"O secretário de Defesa apresentará aos comitês competentes do Congresso um plano para a remoção da participação da Turquia no programa do F-35, incluindo os seus aspectos industriais e militares", diz o projeto.

Caça norte-americano F-35
CC BY-SA 2.0 / mashleymorgan / Aircraft_Fighter_Jet_F-35

Além disso, o texto contém uma proibição da transferência do direito da Turquia aos caças F-35.

A razão para isso, entre outras coisas, é a intenção de Ancara de adquirir sistemas de mísseis antiaéreos russos S-400, bem como as tentativas de expandir as relações com a Rússia, que, segundo os legisladores dos EUA, prejudicam a segurança da OTAN.

Em dezembro de 2017, os representantes russos e turcos assinaram um contrato para o fornecimento de sistemas S-400. Ancara comprará duas baterias destes sistemas, que serão operados pelas tropas do país. As partes também pretendem realizar uma cooperação técnica e transferência de tecnologia durante o processo, para desenvolver a produção de armamentos do tipo na Turquia.

Os EUA e representantes da OTAN criticaram repetidamente Ancara por sua decisão. A Turquia, por sua vez, respondeu que tomará medidas de resposta contra Washington caso o fornecimento dos caças seja bloqueado, apontando para as aeronaves russas como provável alternativa.

Comentários

Postagens mais visitadas