Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

EUA e Coreia do Sul decidirão futuro de manobras conjuntas em julho

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul devem decidir só no próximo mês se continuarão ou cancelarão em definitivo os seus exercícios militares conjuntos no Leste Asiático, foco de constante tensões com a Coreia do Norte, segundo informaram autoridades sul-coreanas.


Sputnik

Mais cedo, o governo dos EUA decidiu suspender por tempo indeterminado os exercícios combinados Ulchi Freedom Guardian, realizados anualmente com Seul, no contexto do recente encontro entre o presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Singapura. 

Soldados sul-coreanos participam de simulação de combate ao terror como parte dos exercícios Ulchi Freedom Guardian (arquivo)
Militares sul-coreanos © AP Photo / Lee Jin-man

"Essa questão está sendo explorada a pedido do presidente (sul-coreano)", afirmou o Ministério da Defesa da Coreia do Sul através de um comunicado. "Uma decisão deve ser esperada para julho".

A decisão de interromper tais atividades foi discutida na última quinta-feira durante uma conversa telefônica entre o secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, e o ministro da Defesa Nacional da Coreia do Sul, Song Young-moo, conforme informou o Pentágono, destacando que o chefe da Defesa americana garantiu aos seus parceiros sul-coreanos a natureza rígida de sua aliança.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas