Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Força Aérea alemã reconhece sua incapacidade de combater

Aproximadamente dois terços dos aviões de guerra da Força Aérea alemã não podem participar de combates.


Sputnik

A frota de aviões de combate alemã se encontra em péssimas condições, conforme anunciou o chefe do Estado-Maior da Força Aérea alemã, tenente-general Ingo Gerhartz, citado pela agência Reuters.

Eurofighter Typhoon S da Força Aérea da Alemanha
CC BY 2.0 / Eurofighter Typhoon S Germany Air Force / https://www.flickr.com/people/14035760@N03

O alto responsável militar, que assumiu o cargo há um mês, confessou essa realidade falando em Berlim perante 200 executivos da indústria da aviação, oficiais e legisladores.

Segundo explicou Gerhartz, a inspeção do estado dos caças polivalentes Eurofighter Typhoon levou 14 meses em vez do planejado meio ano. Tal situação, destacou, é considerada inaceitável.

Além disso, ele ressaltou que as aeronaves estão paradas em suas bases porque não há peças de reposição suficientes ou muitas destas peças já não se fabricam.

Vale destacar que, em fevereiro deste ano, o Ministério da Defesa da Alemanha publicou um relatório no qual detalhou que, durante 2017, apenas 39 dos 128 Eurofighter Typhoon e 26 dos 93 caças antigos Panavia Tornado estavam preparados para treinamentos ou realizar missões de combate.

Comentários

Postagens mais visitadas