Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Grande grupo do opositor Exército Livre da Síria passa para o lado de Assad

Um primeiro grande agrupamento de combatentes do Exército Livre da Síria – grupo armado ilegal e um dos principais grupos da oposição – passou para o lado do governo na zona de desescalada do Sul, informou o Centro Russo para a Reconciliação na Síria.


Sputnik

Após negociações, o líder dos combatentes afirmou que as povoações de Deir Dama, Ashiyah e parte da cidade de Jaddal passam voluntariamente para o controlo do governo.

Soldados da oposição do Exército Livre da Síria apoiados pela Turquia em um caminhão na fronteira com a Síria
Tropas do Exército Livre da Síria apoiados pela Turquia © AP Photo/ Lefteris Pitarakis

Ele também sublinhou que o agrupamento vai combater, juntamente com o exército sírio, o Daesh e a Frente al-Nusra (organizações terroristas proibida na Rússia).

Segundo informaram no centro russo, as primeiras unidades das forças governamentais sírias entraram nas povoações de Deir Dama e Ashiyah já ao fim da tarde de sexta-feira (22).

O que impede um acordo de paz

Comentando a situação atual no país árabe, o analista Vladimir Kozin sublinhou que as organizações terroristas fazem com que a oposição moderada do país combata entre si, impedindo assim o alcance da paz com as tropas governamentais.

No país há quatro grupos armados ilegais que estão em disputa contínua pela alteração das zonas de influência na zona de desescalada, explica o analista, destacando que os grupos Daesh e Frente al-Nusra, não tendo capacidade negocial, controlam, segundo Kozin, entre 40 e 50% da zona.

O analista opinou que outro grupo, Ahrar al-Sham, que controla cerca de 10% da zona de desescalada, poderá sob certas condições se juntar às tropas governamentais.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas