Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Japão: EUA apresentam a Pyongyang 47 exigências para sua completa desnuclearização

Os EUA apresentaram à Coreia do Norte 47 exigências para completar a desnuclearização da península coreana, segundo declarou neste domingo (17) o ministro das Relações Exteriores do Japão, Taro Kono, em entrevista ao canal de televisão NHK.


Pars Today

Kono precisou que o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, sublinhou durante a sua visita recente a Pyongyang que Washington entende como desnuclearização total a liquidação, "de forma verificável e irreversível", das armas nucleares e outras armas de destruição maciça, bem como de todas as instalações respetivas.

Japão: EUA apresentam a Pyongyang 47 exigências para sua completa desnuclearização

Nesse contexto, a Pyongyang foram apresentadas exigências em 47 pontos, assegurou o chanceler japonês, adicionando que se não ocorrer a desnuclearização completa, "não se eliminarão as sanções contra a Coreia do Norte".

"Estão conscientes disso", frisou Kono, que opina que Pyongyang "não se retirará do seu compromisso" de completar a desnuclearização.

Por outro lado, o chanceler reforçou que, apesar da cúpula entre o presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Singapura, atualmente não está sendo considerada uma redução das Forças Armadas estadunidenses posicionadas na Coreia do Sul.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas