Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

'OTAN e EUA pressionam Noruega para aumentar contingentes em seu território'

O governo da Noruega pretende prolongar por mais cinco anos o programa de cooperação militar com os EUA. Como parte desse acordo se prevê duplicar o contingente militar norte-americano no país. Deste modo seriam aproximadamente 700 militares estadunidenses, uma parte dos quais ficaria instalada na província norueguesa de Troms.


Sputnik

Entretanto, em uma entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o cientista político Mikhail Smolin revelou a verdadeira razão da prorrogação, se declarando convencido de que a Noruega não tem nada que temer quanto a suas relações com a Rússia e sublinhando que nunca houve uma confrontação entre os dois países.

Soldado norueguês (foto de arquivo)
Militar norueguês © Foto: 1GNC Münster

"O mais provável é que [a duplicação do contingente militar norte-americano] se deva à pressão da OTAN e dos EUA e não seja uma decisão independente do governo norueguês", sublinhou ele.

Esta decisão faria parte da "pressão generalizada por parte da OTAN e dos EUA contra a Rússia" que se manifesta no aumento de contingentes próximo das fronteiras ocidentais da Rússia.

"Não é um problema ligado às relações entre a Noruega e a Rússia", concluiu o especialista.

Além da ampliação do contingente militar norte-americano no território norueguês, se prevê renovar as bases aéreas de Rygge e Andoya para que os aviões norte-americanos possam permanecer ali mais tempo.

Entretanto, nem todos os noruegueses estão entusiasmados com a renovada cooperação militar com os EUA. Por exemplo, os representantes do Partido da Esquerda Socialista e do Partido do Centro expressaram sua preocupação quanto à cedência de bases norueguesas aos norte-americanos.

Além disso, a implantação de tropas e aviões norte-americanos contradizem a declaração firmada pelo governo do país em 1949, segundo a qual não se permitia a presença de tropas estrangeiras em tempos de paz.

Comentários

Postagens mais visitadas