Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Outro delírio? Ucrânia propõe converter Crimeia em ilha

A Ucrânia pode transformar a Crimeia em uma ilha, escavando um canal na fronteira com a península, disse Anatoly Lopata, ex-chefe das Forças Armadas da Ucrânia.


Sputnik

O coronel-general aposentado considera que, assim, Kiev poderá lutar contra o domínio russo no espaço marítimo ao redor da Crimeia.

Península da Crimeia
Península da Crimeia © Sputnik / Aleksei Malgavko

"Visto que hoje a Rússia está presente na Crimeia, Moscou domina seu espaço marítimo. Podemos separar a península do continente com a ajuda de um canal, então vamos transformá-la em uma ilha", disse Lopata em uma entrevista ao portal ucraniano Obozrevatel.

De acordo com o militar, o canal deve ter 100 metros de largura, pois tal distância é necessária para os navios navegarem através dele.

Esta não é a primeira vez que a Ucrânia propõe a implementação de uma iniciativa controversa.

Em maio de 2015, o ex-premiê ucraniano Arseny Yatseniuk anunciou o início da construção de uma fronteira real com a Rússia, na parte oriental da Ucrânia. O projeto recebeu o nome de "Stena" (muro) e mais tarde foi rebatizado como Muro Europeu.

Apesar do nome tão pomposo, na realidade o muro é uma fortificação bastante simples, feita de barras e arame farpado.

Na Suprema Rada — parlamento ucraniano — a construção foi chamada de "buraco no valor de 3,9 bilhões de grívnias [mais de R$ 562,6 milhões]".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas