Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Presidente de Taiwan acusa China de "ameaçar" democracia da ilha

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, advertiu nesta segunda-feira que o site diplomático chinês sobre a ilha "ameaça" sua democracia e chamou os países democráticos a se unir e combater as forças antidemocráticas que buscam uma regressão no mundo.


EFE

Taipé - "No século XXI, a democracia está em retrocesso", disse Tsai durante um fórum organizado pela Fundação Taiwan pela Democracia, onde advertiu que "embora a democracia pode avançar, também pode retroceder".

Resultado de imagem para Tsai Ing-wen
Presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen | Reprodução

Para a presidente taiuanesa, é imperativo que os países democráticos "trabalhem unidos e estejam unidos para lutar contra a coerção militar, política e econômica não desejada e defender os valores entesourados".

Tsai também se referiu ao site diplomático chinês e sua intimidação militar "que ameaçam nosso modo de vida democrático e limitam o nosso espaço internacional", disse Tsai.

"Mas para Taiwan, retroceder no caminho da democracia não é uma opção", acrescentou a governante em relação aos de representantes de organizações democráticas da Tunísia, Índia, Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos.

A presidente taiuanesa advertiu sobre o crescente poderio das forças antidemocráticas e sobre sua interferência em vários países, não só em Taiwan, mas também na Austrália, Nova Zelândia, EUA e Europa.

A sobrevivência da democracia depende da forte defesa dos valores e da cooperação e união dos países democráticos, em uma batalha mundial que acontece em Taiwan, Austrália, EUA, Europa e outros lugares do mundo, disse Tsai.

Comentários

Postagens mais visitadas