Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Pura 'chantagem': Ancara critica exigência inadmissível de Washington sobre F-35

EUA exigem que a Turquia anule o contrato com a Rússia, que prevê o fornecimento de sistemas S-400, como condição para fornecer os caças-bombardeiros americanos F-35. No entanto, tal exigência é qualificada como pura "chantagem" pelo ministro da Defesa da Turquia, Nurettin Canikli.


Sputnik

"O cumprimento dessa condição é inaceitável. A situação pode ser descrita pela palavra 'chantagem'", afirmou ele, citado pela agência Anadolu.

Caça F-35 Lightning II da Lockheed Martin
F-35 Lightining II © AFP 2018/ Evert-Jan Daniels

Ao mesmo tempo, o ministro destacou que tal exigência ultrapassa os limites de quaisquer normas admissíveis da diplomacia e das relações comerciais. Conforme ele, Ancara espera que Washington forneça os caças F-35 em tempo adequado, segundo prevê o acordo.

"Os países assumiram responsabilidades no âmbito do contrato sobre os F-35. A Turquia cumpriu sua parte. Nove países membros da OTAN tiveram uma reunião sob supervisão dos EUA e tomaram a decisão de começar a produção conjunta dos F-35. Agora chegou o tempo das entregas", sublinhou.

Entretanto, o ministro apontou que o contrato prevê que Ancara pague US$ 11 bilhões (R$ 40,8 bilhões) por 100 caças. Dessa soma, US$ 800 milhões (R$ 2,9 bilhões) já foram transferidos.

Em dezembro do ano passado, a Turquia e a Rússia assinaram um acordo de crédito relativo a sistemas de mísseis S-400 no valor de 2,5 bilhões de dólares (9,3 bilhões de reais). Ancara comprará duas baterias destes sistemas, que serão operadas por especialistas turcos. As partes já combinaram a cooperação tecnológica na esfera do desenvolvimento da produção dos S-400 na Turquia.

Comentários

Postagens mais visitadas