Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Pura 'chantagem': Ancara critica exigência inadmissível de Washington sobre F-35

EUA exigem que a Turquia anule o contrato com a Rússia, que prevê o fornecimento de sistemas S-400, como condição para fornecer os caças-bombardeiros americanos F-35. No entanto, tal exigência é qualificada como pura "chantagem" pelo ministro da Defesa da Turquia, Nurettin Canikli.


Sputnik

"O cumprimento dessa condição é inaceitável. A situação pode ser descrita pela palavra 'chantagem'", afirmou ele, citado pela agência Anadolu.

Caça F-35 Lightning II da Lockheed Martin
F-35 Lightining II © AFP 2018/ Evert-Jan Daniels

Ao mesmo tempo, o ministro destacou que tal exigência ultrapassa os limites de quaisquer normas admissíveis da diplomacia e das relações comerciais. Conforme ele, Ancara espera que Washington forneça os caças F-35 em tempo adequado, segundo prevê o acordo.

"Os países assumiram responsabilidades no âmbito do contrato sobre os F-35. A Turquia cumpriu sua parte. Nove países membros da OTAN tiveram uma reunião sob supervisão dos EUA e tomaram a decisão de começar a produção conjunta dos F-35. Agora chegou o tempo das entregas", sublinhou.

Entretanto, o ministro apontou que o contrato prevê que Ancara pague US$ 11 bilhões (R$ 40,8 bilhões) por 100 caças. Dessa soma, US$ 800 milhões (R$ 2,9 bilhões) já foram transferidos.

Em dezembro do ano passado, a Turquia e a Rússia assinaram um acordo de crédito relativo a sistemas de mísseis S-400 no valor de 2,5 bilhões de dólares (9,3 bilhões de reais). Ancara comprará duas baterias destes sistemas, que serão operadas por especialistas turcos. As partes já combinaram a cooperação tecnológica na esfera do desenvolvimento da produção dos S-400 na Turquia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas