Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Que jogo faz a Ucrânia ao deslocar tropas para perto da fronteira russa?

O deslocamento de uma unidade de aviação ucraniana para o mar de Azov é motivo de preocupação, disse à Sputnik o representante da Crimeia na Duma de Estado (parlamento da Rússia), Ruslan Balbek.


Sputnik

Segundo o deputado, devido a essa medida de Kiev, Moscou é forçada a usar recursos "adicionais" para defender a península da Crimeia.

Soldados do exército da Ucrânia em tanques na cidade de Mariupol
Tropas ucranianas em Mariupol © AP Photo / Sergei Grits

"A criação pela Ucrânia de um grupo aeronaval perto da fronteira russa durante a Copa do Mundo é uma maneira de fazer o jogo do público ocidental, na esperança de aumentar as tensões com a Rússia", disse ele.

Ao mesmo tempo, ele ressaltou que nem a Copa do Mundo nem a "histeria" dos grupos de poder farão com que a Rússia "se renda e participe de duvidosas negociações de paz" com Kiev. Ele também disse que qualquer ataque contra alvos russos no mar Negro — seja um navio ou as margens da península da Crimeia — será considerado uma ofensiva militar em larga escala.

"E isso vai levar a medidas simétricas por parte de Moscou", acrescentou.

No entanto, o deputado expressou esperança de que os ucranianos mostrem maior interesse pela Copa do Mundo — embora a seleção do país eslavo não participe do campeonato — do que em "lançar farpas" contra a Crimeia.

No início de junho, as Forças Armadas da Ucrânia deslocaram uma unidade de defesa antiaérea S-300 para a zona sul da linha de contato em Donbas, perto da cidade costeira de Mariupol.

"Nossa inteligência tem informações de que uma divisão dos sistemas de mísseis S-300 foi transferida para a região urbana de Nikolskoe", disse à mídia o vice-chefe do comando operacional da autoproclamada República Popular de Donetsk, Eduard Basurin.

Além disso, em 4 de junho, a Marinha ucraniana informou que, até 1 de setembro, fecharia três áreas localizadas no mar de Azov, perto da costa de Mariupol.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas