Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Senado estadunidense proíbe venda de aviões militares à Turquia

Meios de comunicação da Turquia recolheram hoje em suas manchetes a decisão do Senado dos Estados Unidos de proibir a venda de aviões de combate F-35 fabricados pela empresa Lockheed Martin.


Prensa Latina

Ancara - A câmera estadunidense, controlada pelos republicanos, aprovou ontem, por 85 votos contra 10, um projeto de lei de defesa (NDAA) que inclui uma emenda pela qual se impede a transferência de tecnologia militar à Turquia.

F-35 Lightining II | Reprodução

Antes que o NDAA se converta em lei, deverá ser ratificada pelo Congresso e aprovada pelo presidente Donald Trump, que deverá certificar que Turquia não constitui uma ameaça para a OTAN, por sua compra de armamento à Rússia, nem detém cidadãos estadunidenses.

Estas cláusulas foram incluídas pelos senadores em referência à aquisição do sistema balístico de defesa aérea S-400 russo, que poderia gerar tensões e riscos para a Aliança Atlântica, e o encarceramento do sacerdote estadunidense Andrew Brunson na Turquia, acusado de terrorismo e espionagem.

O ministro de Relações Exteriores turco, Mevlüt Cavusoglu, assegurou dias atrás que seu governo tentou comprar dos EUA o sistema de defesa aérea Patriot sem sucesso, 'esta é a razão pela qual Turquia, que precisa urgentemente destas armas, decidiu comprá-las da Rússia', acrescentou.

Sobre os aviões de combate F-35, Cavusoglu disse que se Washington impedisse a venda recorreriam a outros mercados ou, inclusive, a produzir seus próprios aparelhos, e acrescentou que 'se os EUA nos impõem sanções ou dá esse passo, Turquia empreenderá represálias'.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas