Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Senado estadunidense proíbe venda de aviões militares à Turquia

Meios de comunicação da Turquia recolheram hoje em suas manchetes a decisão do Senado dos Estados Unidos de proibir a venda de aviões de combate F-35 fabricados pela empresa Lockheed Martin.


Prensa Latina

Ancara - A câmera estadunidense, controlada pelos republicanos, aprovou ontem, por 85 votos contra 10, um projeto de lei de defesa (NDAA) que inclui uma emenda pela qual se impede a transferência de tecnologia militar à Turquia.

F-35 Lightining II | Reprodução

Antes que o NDAA se converta em lei, deverá ser ratificada pelo Congresso e aprovada pelo presidente Donald Trump, que deverá certificar que Turquia não constitui uma ameaça para a OTAN, por sua compra de armamento à Rússia, nem detém cidadãos estadunidenses.

Estas cláusulas foram incluídas pelos senadores em referência à aquisição do sistema balístico de defesa aérea S-400 russo, que poderia gerar tensões e riscos para a Aliança Atlântica, e o encarceramento do sacerdote estadunidense Andrew Brunson na Turquia, acusado de terrorismo e espionagem.

O ministro de Relações Exteriores turco, Mevlüt Cavusoglu, assegurou dias atrás que seu governo tentou comprar dos EUA o sistema de defesa aérea Patriot sem sucesso, 'esta é a razão pela qual Turquia, que precisa urgentemente destas armas, decidiu comprá-las da Rússia', acrescentou.

Sobre os aviões de combate F-35, Cavusoglu disse que se Washington impedisse a venda recorreriam a outros mercados ou, inclusive, a produzir seus próprios aparelhos, e acrescentou que 'se os EUA nos impõem sanções ou dá esse passo, Turquia empreenderá represálias'.

Comentários

Postagens mais visitadas