Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Analista: destróier Lider será 'o poder de fogo principal' da Marinha russa

A mídia norte-americana descreveu o destróier russo Lider do projeto 23560 como o navio "mais fortemente armado no mundo". Analista naval russo destaca as especificidades do futuro navio.


Sputnik

O portal Military Watch afirmou em seu artigo que as características do Lider superam significativamente as de quase todos os navios de guerra existentes, ressaltando os vários sistemas de mísseis e de defesa antimíssil com que poderá ser equipado o navio.

Maqueta do destróier russo Lider em uma exposição militar
CC BY-SA 3.0 / Artem Tkachenko / Mock Leader class destroyer on «Army 2015» 2

O capitão-de-mar-e-guerra na reserva e analista naval Vasily Dandykin apontou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik a peculiaridade do destróier russo que, na opinião dele, "será o poder de fogo principal da Marinha" do país.

"O nosso navio Lider se diferenciará [dos navios chineses e norte-americanos] por ter um reator nuclear […] — serão utilizados os reatores que são usados nos nossos quebra-gelos nucleares", disse Dandykin.

Quanto às armas, o futuro navio russo será igual tanto aos chineses como aos estadunidenses, acredita o analista. Porém, acrescenta, quanto à navegabilidade, o Lider vai até superar os seus análogos estrangeiros.

Segundo Dandykin, a Rússia é uma grande potência naval e precisa de navios deste nível.

"Claro que isso implicará muitas despesas, mas, por outro lado, o desenvolvimento de tecnologias avançadas terá efeitos positivos, inclusive para a economia russa", sublinhou.

Está previsto iniciar a construção do Lider após 2020. Supõe-se que o navio terá 200 metros de comprimento, 20 metros de boca e deslocamento de 17,5 mil toneladas. A embarcação será capaz de atingir a velocidade de 30 nós (55,5 km/h) e terá uma autonomia de 90 dias. o destróier será equipado com cerca de 60 mísseis de cruzeiro antinavio, 128 mísseis guiados antiaéreos e 16 mísseis guiados antissubmarino.

Comentários

Postagens mais visitadas