Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Assad: Capacetes Brancos que se recusam a depor armas serão eliminados como terroristas

As declarações do presidente acontecem em meio à evacuação contínua de centenas de membros do controverso grupo, que Damasco considera um braço da Al-Qaeda na Síria.


Sputnik

Falando à imprensa russa nesta quinta-feira, Bashar Assad reiterou sua posição de que os Capacetes Brancos não eram um grupo de resgate, mas sim uma cobertura para os militantes da Frente al-Nusra.

O presidente sírio Bashar Assad durante um discurso em frente dos diplomatas, em 20 de agosto de 2017
Bashar Assad © AP Photo / Página do Facebook da Presidência da Síria

Assad disse que os líderes do grupo já fugiram da Síria, com o restante ficando para trás sob o disfarce de civis e se escondendo em Idlib, controlada por militantes terroristas.

"Eles fugiram da Síria, mas na verdade não fugiram — foram evacuados por Israel, pela Jordânia e pelas potências ocidentais", disse Assad.

Segundo o presidente, todos os Capacetes Brancos que recusarem a anistia serão eliminados. "O destino dos Capacetes Brancos será o mesmo de qualquer terrorista. Eles têm dois caminhos: ou entregam as armas e aproveitam a anistia… ou serão eliminados, como outros terroristas", disse ele.

Comentando as prioridades dos militares sírios, Assad considerou a libertação da província de Idlib uma das principais direções, mas não a única. "Hoje Idlib é nosso objetivo, mas não apenas Idlib. Hoje, é claro, há territórios na parte leste da Síria que são controlados por vários grupos. Alguns são mantidos por Daesh (esses são pequenos bolsões), assim como Frente al-Nusra e outras formações extremistas. Portanto, estaremos nos movendo para essas regiões. As forças armadas determinarão as prioridades, e Idlib é uma delas", disse Assad.

Assad comparou a situação atual em seu país com a da Frente Oriental da Segunda Guerra Mundial. Cercado por parentes de militares russos que morreram lutando contra os jihadistas na Síria, o presidente sírio disse que as ações bárbaras dos nazistas eram comparáveis ​​às dos terroristas de hoje.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas