Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Assad: Exército decidido na erradicação do terrorismo, libertação da Síria

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, disse que o Exército Árabe Sírio e as forças aliadas estão firmemente decididas a derrotar o terrorismo e a libertar todo o território do país árabe.


Pars Today

Assad fez as declarações em uma reunião com o assistente especial do ministro das Relações Exteriores do Irã para Assuntos Políticos, Hussein Jaberi Ansari, e sua delegação em Damasco no domingo.

Assad: Exército decidido na erradicação do terrorismo, libertação da Síria
Ministro das Relações Exteriores do Irã para Assuntos Políticos, Hussein Jaberi Ansari e Bashar Assad | Reprodução

Jaberi Ansari elogiou as conquistas recentes feitas pelo exército sírio na batalha contra os terroristas na cidade de Dara'a e seu interior. Os dois lados enfatizaram que a eliminação do terrorismo na maioria dos territórios sírios preparou uma base apropriada para pôr fim à guerra de sete anos na Síria, mas as políticas e pré-condições estabelecidas pelos países que apoiam o terrorismo até agora o impediram.

Desde 19 de junho, o exército sírio conduz a operação de liberação em Dara'a, que faz fronteira com a Jordânia e com o lado israelense ocupado das colinas de Golã na Síria. Em uma tentativa de minimizar as baixas civis, tanto a Síria quanto a Rússia estão iniciando conversações com militantes para fazer com que eles devolvam as áreas que controlam ao governo sem lutar. Dara'a foi o berço da sedição que nasceu em março de 2011, antes de se transformar em uma militância apoiada por estrangeiros que continua até hoje.

Na quinta-feira, o exército sírio ergueu a bandeira nacional sobre a cidade de Dara'a, enquanto uma grande operação antiterrorista se aproximava do fim, com militantes apoiados por estrangeiros deixando a região negociando acordos de rendição.

O presidente sírio e o alto funcionário iraniano também enfatizaram a importância de impulsionar o relacionamento estratégico bilateral para servir os interesses das duas nações e de toda a região. Eles concordaram em continuar trabalhando para fortalecer os laços mútuos continuamente como um fator importante para desenvolver a estabilidade regional.

Jaberi Ansari também manteve conversações com o ministro sírio dos estrangeiros e dos expatriados, Walid al-Moallem, sobre os últimos desenvolvimentos políticos à luz das vitórias alcançadas pelo exército sírio e seus aliados na luta contra grupos terroristas e seus partidários. Os dois lados também enfatizaram a importância da coordenação e consulta bilateral para conter os problemas que visam à estabilidade da Síria e da região.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas