Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Estados Unidos planejam lançar ataque contra Irã, diz mídia

Os Estados Unidos poderão lançar ataques contra instalações nucleares iranianas já em agosto, informou o canal ABC, citando fontes no governo australiano.


Sputnik

Segundo revelaram representantes do governo australiano, é muito provável que militares britânicos e australianos ajudem aos norte-americanos a identificarem os alvos no Irã, mas não participarão do próprio bombardeamento.

Vista de Teerã
Teerã © Fotolia / Borna_Mir

"Fornecer inteligência e compreensão sobre o que está acontecendo no terreno para que o governo [australiano] e os governos aliados fiquem totalmente informados para tomar decisões, é diferente de participar do ataque", disse para ABC um alto funcionário nos serviços de segurança australianos.

Ao mesmo tempo, o primeiro-ministro da Austrália, Malcolm Turnbull, afirmou que ele não tem razões para achar que os EUA estejam se preparando para um confronto contra o Irã.

A notícia surge em meio à troca de ameaças entre o líder americano Donald Trump e o presidente iraniano, Hassan Rouhani. Assim, Rouhani em um discurso apelou que Washington "não brinque com fogo", senão irá se arrepender. Em resposta, Trump ameaçou com consequências graves para Teerã, se continuar provocando Washington.

As relações entre Washington e Teerã agravaram em meados deste ano, quando os Estados Unidos saíram unilateralmente do acordo nuclear iraniano, voltando a introduzir sanções anteriormente suspendidas contra o Irã.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas