Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

EUA no topo da lista de países que buscam insegurança na região

O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas do Irã, Mohammad Baqeri, disse que os Estados Unidos buscam insegurança no Oriente Médio e que é contra a restauração da segurança na região.


Pars Today

O general Baqeri fez os comentários ao chegar na capital do Paquistão, Islamabad, na segunda-feira, para uma visita oficial ao país, a convite de seu colega paquistanês, general Qamar Javed Bajwa.

EUA no topo da lista de países que buscam insegurança na região
Mohammad Baqeri | Reprodução

“Os norte-americanos estão no topo da lista de países que buscam criar insegurança na região e é contra a restauração da segurança na região”, disse ele.

Baqeri acrescentou que os países independentes desempenham um papel relevante no desenvolvimento da paz e segurança na região e enfatizou que o Irã e o Paquistão atualmente têm o dever de estimular as relações cordiais e elaborar planos para estabelecer a tranquilidade regional.

O comandante iraniano acrescentou que Teerã e Islamabad devem expandir os laços militares, dadas as atuais circunstâncias no sudoeste da Ásia.

Necessidade de reforçar a cooperação de defesa entre o Irã e o Paquistão

Em uma reunião com o chefe do Exército do Paquistão, Javed Bajwa, o principal comandante iraniano enfatizou a importância de expandir a cooperação dos dois países em áreas como defesa, segurança de fronteiras e combate ao terrorismo, bem como desenvolvimentos na região e no mundo muçulmano.

O chefe da equipe do exército paquistanês fez uma visita ao Irã em novembro passado à frente de uma delegação de altos oficiais militares e conversou com importantes autoridades iranianas.

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse que o terrorismo, assim como as divergências sectárias e étnicas, são as duas principais questões que afligem o mundo muçulmano, culpando algumas potências mundiais pela criação e disseminação de tais divisões.

"[Esses] poderes não estão interessados ​​em união e fraternidade entre os muçulmanos, porque se tal unidade e fraternidade forem promovidas, os países muçulmanos serão, sem dúvida, capazes de resolver seus problemas sem o envolvimento de outros", disse Rouhani em uma reunião.

O general Baqeri também condenou recentes ataques terroristas no Paquistão.

Pelo menos 128 pessoas foram mortas em um atentado à bomba que atingiu um comboio de campanha eleitoral na província paquistanesa de Baluchistão.

A mídia paquistanesa informou que mais de 200 outras pessoas também ficaram feridas no atentado de sexta-feira alegado pelo grupo terrorista Daesh na cidade de Mastung, perto da capital da província de Quetta.

De sua parte, o general paquistanês enfatizou na reunião com Baqeri que "a cooperação militar entre o Irã e o Paquistão pode ter um impacto positivo sobre a paz e a segurança na região".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas