Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

'Extremamente descontente': China ataca cooperação militar entre EUA e Taiwan

Pequim está "extremamente descontente" com o plano dos Estados Unidos de desenvolver cooperação militar com Taiwan e alerta Washington que ação pode desestabilizar a região, disse o porta-voz da chancelaria chinesa, Geng Shuang, nesta quarta-feira (25).


Sputnik

Em maio, o Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA publicou um relatório sobre o orçamento de defesa do próximo ano, que incluía uma seção sobre o fortalecimento da cooperação militar com Taiwan, inclusive exercícios militares conjuntos e venda de armas, aumentando a presença militar dos EUA no Mar da China Oriental. O Senado aprovou o projeto em junho, mas o documento ainda deve passar pelo crivo da Câmara dos Deputados.

Soldados da Academia Militar de Taiwan durante desfile
Militares taiwaneses © AFP 2018 / SAM YEH

"A China está extremamente descontente e aponta um forte protesto contra as disposições acima mencionadas relativas ao PRC [República Popular da China, nome formal do país] no plano dos EUA para os gastos de defesa para o ano fiscal de 2019", disse Geng em uma entrevista coletiva..

Segundo o porta-voz, se o projeto for aprovado, isso prejudicará a confiança e a cooperação entre a China e Estados Unidos, ao mesmo tempo em que ameaça a estabilidade no Estreito de Taiwan.

"A China exorta os Estados Unidos a abandonar a mentalidade da Guerra Fria e o princípio de um 'jogo de soma zero' ao remover o conteúdo negativo em questão do documento para apoiar o desenvolvimento de relações bilaterais interestatais e não interferir nele", acrescentou Geng.

Taiwan, situada em um grupo de ilhas a sudoeste da China continental, deixou de fazer parte do estado chinês em 1949. Embora os contatos comerciais e não-oficiais entre os dois lados tenham sido retomados no final dos anos 80, a China recusa relações diplomáticas com qualquer país que reconheça Taiwan como um Estado.

Os Estados Unidos estão entre os países que não reconhecem Taiwan como um estado independente. O governo dos EUA declarou que encerraria todos os laços políticos com Taiwan após o comunicado conjunto de 1979, mas continuaria a manter relações econômicas e culturais através do Instituto Americano em Taiwan.

Em 2015, o então presidente Barack Obama aprovou um pacote de venda de armas para Taiwan no valor de US$ 1,83 bilhão, enquanto seu sucessor, Donald Trump, assinou o Taiwan Travel Act, permitindo que autoridades dos EUA viajassem para a ilha e visitassem as autoridades de Taiwan.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas