Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

'Hipocrisia e ingratidão': político sobre envio de tropas montenegrinas à fronteira russa

Montenegro enviará soldados às fronteiras russas para reforçar as unidades da OTAN na Letônia. Oposicionistas ao governo montenegrino qualificaram a iniciativa do país como vergonhosa, que viola a Constituição e contradiz a vontade da maioria dos cidadãos, bem como a própria adesão do país à OTAN e reconhecimento da independência de Kosovo.


Sputnik

O Ministério da Defesa de Montenegro anunciou o envio de uma subunidade de infantaria e de um oficial de Estado-Maior ao contingente das Forças Armadas da Eslovênia sob o comando das Forças Armadas canadenses, que fazem parte do grupo de combate da OTAN, posicionado na Letônia. Essa decisão foi adotada em 12 de junho pelo Conselho de Defesa e Segurança de Montenegro com a participação do presidente do país, Milo Djukanovic.

Soldados da Brigada das Forças Especiais de Montenegro
Militares montenegrinos © Foto : Wikipedia/CRNAGORAMNE

Djukanovic afirmou que "Montenegro, sem dúvidas, contribuirá para a política de defesa e contenção ao se juntar às Forças Armadas da Aliança na Letônia". O líder do país reafirmou que Podgorica continuará comprometida com "todas as regras e obrigações de um país-membro da OTAN”, apesar do "desentendimento dessa postura por uma parte da comunidade montenegrina, bem como de outros países".

Em entrevista à Sputnik Sérvia, o vice-presidente do Partido Democrático Sérvio de Montenegro, Matija Nikolic, recordou um incidente que ocorreu há dois anos. Durante uma reunião anti-OTAN, que se deu na cidade de Tivat, ele sugeriu que o epílogo de entrada do país na Aliança poderia ser o envio de tropas às fronteiras da Rússia fraternal, chocando o público com suas previsões, "como se eu tivesse dito algum absurdo incompreensível", explicou.

Nikolic assinalou que a decisão sobre o envio de soldados montenegrinos às fronteiras russas, bem como uma provável decisão de enviá-los a Kosovo para protegê-lo da Sérvia, é algo "vergonhoso, ilegítimo, inconstitucional" já que a maior parte da população do país não apoia essa decisão.

"Gostaria de destacar que a decisão sobre a adesão de Montenegro à OTAN foi tomada no Parlamento, e não através de referendo. Vale recordar que 80% da população montenegrina não apoia a independência de Kosovo. Acho que nem 10% dos cidadãos aprovariam o envio de tropas montenegrinas às fronteiras russas", indicou o político.

"A Rússia para nós é um país fraterno, e os russos são nossos irmãos. A Rússia sempre ajudou Montenegro, e este passo pode ser qualificado somente como hipocrisia e ingratidão", lamentou o político, acrescentando que a Rússia não atacou ninguém para merecer isso.

Nikolic acredita que a "ação hostil" de Podgorica envolverá Montenegro em um conflito com a Rússia e a OTAN, e as consequências podem ser imprevisíveis.

"Um problema é que nossas autoridades nos colocam em um lado errado, e outro é que rotulamos uma nação tão potente como um adversário", concluiu Matija Nikolic.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas