Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Imprensa norte-americana nomeia arma russa que deixará OTAN 'indefesa'

Após comparar o sistema tático operacional Iskander com as capacidades do sistema de defesa antimíssil da OTAN na Europa, a edição norte-americana Military Watch chegou à conclusão que a aliança não teria nada a contrapor à arma russa.


Sputnik

"Ao levar em conta a experiência de uso em combate dos sistemas Patriot, estes dificilmente seriam capazes de interceptar os Iskander, sendo assim, as instalações da OTAN ficarão praticamente sem qualquer proteção perante o sistema russo", assinalaram os autores do artigo.

Sistema de mísseis Iskander
Sistema de mísseis Iskander © REUTERS / Sergei Karpukhin

Os especialistas reforçaram sua conclusão com os recentes resultados do uso dos sistemas Patriot no Iêmen, onde o sistema norte-americano se mostrou extremamente ineficaz contra o míssil R-17, utilizado por rebeldes houthis.

O R-17 (Scud B em classificação da OTAN) foi adotado em serviço em 1962 e, segundo os autores da matéria, é uma arma muito mais simples que os Iskander.

De acordo com o artigo, a adoção dos sistemas Iskander ao serviço tinha causado preocupações por parte dos aliados europeus dos EUA. A chefia militar sueca alegou que as tropas russas, utilizando estas armas, poderiam destruir rapidamente as instalações militares e aeródromos do país, assegurando sua vantagem em caso de um possível conflito.

Enquanto isso, os autores assinalaram que o posicionamento dos Iskander no oeste na Rússia permitirá ao exército do país atingir praticamente qualquer ponto no norte da Europa.

Comentários

Postagens mais visitadas