Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Imprensa norte-americana nomeia 'maior desvantagem' do MiG-29

A modernização dos caças MiG-29 para MiG-29M e MiG-29SMT assegurará às aeronaves uma aviônica ao nível dos Su-27 modernos, contudo, é muito dispendiosa, escreveu a revista norte-americana The National Interest.


Sputnik

"Este é o problema do MiG-29. Embora seja capaz de atingir o mesmo nível de funcionalidade que o Su-27, os gastos com sua modernização até este nível aproximam o custo do avião ao preço da versão modernizada do Su-27", acredita o autor da matéria, Charlie Gao.

Caça russo MiG-29 (foto de arquivo)
MiG 29 © Sputnik / Vladimir Astapkovich

De acordo com ele, inicialmente o MiG-29 era fabricado na URSS como um caça de quarta geração destinado para ser exportado, proporcionando funções limitadas em comparação com o Su-27. Contudo, o alto custo da modernização priva o MiG-29 das vantagens perante o Su-27.

"Quando o MiG-29 se estreou pela primeira vez nos anos 80, tinha sido planejado como um caça ligeiro, que pudesse ser adquirido em grande número por um preço menor que o Su-27", assinalou Gao.

Em maio deste ano, o presidente da Corporação Unida de Construção Aeronáutica (UAC) russa, Yuri Slyusar, anunciou o início dos testes de voo estatais do caça multifuncional MiG-35 de geração 4++. Acredita-se que os testes demorem cerca de dois anos até que a aeronave seja lançada em produção.

O MiG-35 está sendo elaborado sobre a plataforma bastante melhorada do MiG-29. O MiG-35 é considerado por seus desenvolvedores como uma fase transitiva para a aviação de quinta geração.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas