Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Como governo Trump esvaziou resolução da ONU contra estupro em guerras

A oposição do presidente americano, Donald Trump, à legalização do aborto levou ao esvaziamento de uma resolução das Nações Unidas contra o uso de violência sexual como arma de guerra.
BBC News Brasil

Os Estados Unidos retiraram todas as referências a "saúde sexual e reprodutiva" do texto, o que, na prática, reduz o peso da resolução. O documento havia sido submetido pela Alemanha ao Conselho de Segurança da ONU. Estados Unidos, China e Rússia ameaçaram vetá-lo, se fosse mantida a redação original.

O governo Trump se opôs às menções à "saúde sexual e reprodutiva" das mulheres, com o argumento de que esse termo indica apoio ao aborto. Uma versão da resolução que exclui essa frase foi aprovada por 13 votos a 0, com abstenções de Rússia e China.

O embaixador da França nas Nações Unidas, François Delattre, criticou a exclusão do trecho, dizendo que a decisão afeta a dignidade das mulheres.

"É intolerável e incompreensível que o Conselho de Segurança da ONU seja incapaz…

Inteligência americana aponta que Coreia do Norte constrói novos mísseis, diz jornal

Segundo 'The Washington Post', país fabrica míssil balístico intercontinental (ICBM) capaz de atingir cidades americanas.


EFE

As agências de Inteligência dos Estados Unidos acreditam que a Coreia do Norte está construindo novos mísseis na mesma fábrica onde produziu um míssil balístico intercontinental (ICBM) capaz de atingir cidades americanas, informou o jornal "The Washington Post".

Resultado de imagem para Coreia do Norte continua produzindo mísseis, segundo inteligência americana
Coreia do Norte continua produzindo mísseis, segundo inteligência americana

Imagens obtidas por satélite indicam que o governo de Kim Jong-un trabalha em um ou dois mísseis ICBM em uma instalação de pesquisa em Sanumdong, nos arredores de Pyongyang, segundo as suspeitas da Inteligência dos EUA.

A informação em mãos do governo americano revela que a Coreia do Norte segue com seu programa de mísseis balísticos, embora, segundo o jornal, isso não sugere que Pyongyang esteja expandindo seu potencial.

No final de novembro do ano passado, o regime norte-coreano lançou um inédito míssil ICBM, batizado como Hwasong-15, e que voou cerca de 4,5 mil quilômetros antes de cair no mar do Japão.

O lançamento pegou os EUA de surpresa, que não acreditavam que a Coreia do Norte fosse capaz de produzir um míssil ICBM com a tecnologia necessária para alcançar a costa leste americana.

"Vemos que estão trabalhando, como antes", disse ao "The Washington Post", na segunda-feira, a fonte que vazou a informação.

Apesar da atividade detectada em Sanumdong, a Inteligência americana também constatou que a Coreia do Norte está desmantelando seu centro de lançamentos em Sohae, na costa oeste da península, de acordo com o jornal.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas