Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Israel quer comprar mais caças F-15 no lugar de mais F-35

Israel negocia compra US$ 11 bilhões em aeronaves da Boeing


Poder Aéreo

Israel está considerando a compra de novos aviões de combate F-15 para a Força Aérea, como parte do maior acordo de defesa na história do país.

F-15I
F-15I

O negócio com a fabricante de aeronaves Boeing, no valor de US $ 11 bilhões, deve incluir três componentes principais: uma frota de caças, uma frota de helicópteros de transporte e aviões-tanque de reabastecimento aéreo. Os dois últimos componentes são especialmente críticos porque os atuais helicópteros de transporte e aviões de reabastecimento da Força Aérea de Israel estão extremamente desatualizados e exigem uma substituição imediata.

Semelhante aos acordos de aquisição de aeronaves anteriores nas últimas décadas, Israel usará ajuda de defesa americana para pagar pelas frotas. Espera-se que o acordo seja distribuído ao longo de aproximadamente 10 anos, a partir do momento em que o acordo é assinado e até a última aeronave ser entregue a Israel.

O Ministério da Defesa e as IDF têm trabalhado para concluir este acordo por algum tempo. O principal ponto de debate envolveu a questão de comprar ou não cada componente de um fabricante diferente ou de todos os três da mesma empresa – o que, em última análise, veio com melhores condições de pagamento, fornecimento e manutenção.

Até recentemente, os oficiais das IDF acreditavam que o F-35 seria o último caça tripulado israelense a ser comprado, tanto para preservar a vantagem qualitativa da Força Aérea sobre outros países da região quanto para minimizar os tipos de aviões que teria que operar – reduzindo despesas operacionais. No entanto, houve uma mudança de política e agora o plano é comprar outro esquadrão de F-15 avançados, como parte do acordo geral com a Boeing.

O jato, desenvolvido a partir do F-15 original, será completamente novo e será conhecido como o F-15IA (um acrônimo para Israel Advanced).

FONTE: Israel Hayom

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas