Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Israel quer comprar mais caças F-15 no lugar de mais F-35

Israel negocia compra US$ 11 bilhões em aeronaves da Boeing


Poder Aéreo

Israel está considerando a compra de novos aviões de combate F-15 para a Força Aérea, como parte do maior acordo de defesa na história do país.

F-15I
F-15I

O negócio com a fabricante de aeronaves Boeing, no valor de US $ 11 bilhões, deve incluir três componentes principais: uma frota de caças, uma frota de helicópteros de transporte e aviões-tanque de reabastecimento aéreo. Os dois últimos componentes são especialmente críticos porque os atuais helicópteros de transporte e aviões de reabastecimento da Força Aérea de Israel estão extremamente desatualizados e exigem uma substituição imediata.

Semelhante aos acordos de aquisição de aeronaves anteriores nas últimas décadas, Israel usará ajuda de defesa americana para pagar pelas frotas. Espera-se que o acordo seja distribuído ao longo de aproximadamente 10 anos, a partir do momento em que o acordo é assinado e até a última aeronave ser entregue a Israel.

O Ministério da Defesa e as IDF têm trabalhado para concluir este acordo por algum tempo. O principal ponto de debate envolveu a questão de comprar ou não cada componente de um fabricante diferente ou de todos os três da mesma empresa – o que, em última análise, veio com melhores condições de pagamento, fornecimento e manutenção.

Até recentemente, os oficiais das IDF acreditavam que o F-35 seria o último caça tripulado israelense a ser comprado, tanto para preservar a vantagem qualitativa da Força Aérea sobre outros países da região quanto para minimizar os tipos de aviões que teria que operar – reduzindo despesas operacionais. No entanto, houve uma mudança de política e agora o plano é comprar outro esquadrão de F-15 avançados, como parte do acordo geral com a Boeing.

O jato, desenvolvido a partir do F-15 original, será completamente novo e será conhecido como o F-15IA (um acrônimo para Israel Advanced).

FONTE: Israel Hayom

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas