Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Marinha de Israel intercepta navio que tentava romper bloqueio da Faixa de Gaza

A Marinha de guerra israelense interceptou, no mar Mediterrâneo, um navio com ativistas palestinos que tentavam romper o bloqueio da Faixa de Gaza.


Sputnik

Segundo informam os organizadores da ação, a antiga escuna de pesca Al-Awda (Regresso em português) navega sob bandeira da Noruega e tem a bordo 22 marinheiros, jornalistas e ativistas dos direitos humanos de 16 países e uma carga de remédios no valor de 13 mil euros (R$ 56,2 mil).

Reprodução Twitter

"O navio da Flotilha da Liberdade que transporta remédios para Gaza foi capturado pelas forças israelenses", escreveram os organizadores no Twitter.

De acordo com eles, quando o navio se encontrava à distancia de 50 milhas marítimas (92,6 quilômetros) da costa de Gaza, os militares da Marinha de Israel entraram em contato com eles via rádio e exigiram que mudassem de rumo. Caso contrário, eles avisaram que tomariam "todas as medidas necessárias" para parar a embarcação.

Até o momento, o serviço de imprensa do Exército israelense não comentou as mensagens dos ativistas.

A seguir ao Al-Awda, outro navio — o iate Freedom (Liberdade em português) sob bandeira da Suécia e com uma tripulação internacional a bordo — tentará romper o bloqueio.

"Esperamos que em dois dias ele atinja a área em que as forças de ocupação israelenses atacaram o Al-Awda", diz o comunicado dos ativistas.

Em 2016 já tinha havido uma tentativa de furar o bloqueio israelense, quando a uma embarcação com 13 mulheres, inclusive a vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Mairead Maguire, foi barrada a passagem. O barco delas foi levado para o porto israelense de Ashdod, a cerca de 30 quilômetros ao norte de Gaza, e elas foram detidas antes de serem deportadas.

Israel diz que o bloqueio é importante para impedir que o grupo Hamas consiga armamentos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas