Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares russos tornam usina nuclear invisível

Unidades das Forças Armadas da Rússia especializadas na Defesa Radiológica, Química e Biológica tornaram invisível a usina nuclear de Smolensk, escondendo-a em uma nuvem de aerossol de grafite, disse aos repórteres na quarta-feira (19) um representante do Ministério da Defesa.
Sputnik

"Pela primeira vez, foi utilizada uma composição em forma de aerossol que opera não só na faixa visível do espectro de radiação eletromagnética mas também na de infravermelhos" - afirmou um representante.

Fluxos de gás quente à base de grafite são pulverizados a fim de criar uma cortina de camuflagem. Para criar uma nuvem de aerossol sobre uma área de dois quilômetros quadrados, foram necessárias cinco máquinas térmicas de fumaça TDA-3, informou o representante.

Os exercícios militares começaram na usina nuclear de Smolensk no dia anterior. Neles participam mais de 600 militares, pessoal civil da fábrica e mais de 200 unidades de equipamentos militares e especiais. Anteriormente, as unidades de gue…

Para conter Pequim? Londres pretende enviar seu maior porta-aviões ao mar do Sul da China

O Reino Unido e a Austrália estão discutindo os planos de enviar o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth ao oceano Pacífico em meio a tensões em torno da militarização chinesa no mar do Sul da China, informou The Guardian.


Sputnik

A Inglaterra pretende enviar seu porta-aviões para o oceano Pacífico para realizar patrulhamento para assegurar a liberdade de navegação, escreve a edição.

Os aviões ameicanos F/A-18E e F/A-18F Super Hornets sobrevoam o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth durante as manobras Saxon Warrior no Atlântico, em 5 de agosot de 2017
Porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth sobrevoado por Super Hornets norte-americanos © REUTERS / U.S. Navy/Capt. Jim McCall

Na semana passada, a ministra da Defesa, Marise Payne, e a chanceler, Julie Bishop, australianas discutiram operações navais conjuntas no oceano Pacífico com o secretário de Defesa britânico, Gavin Williamson, durante negociações de dois dias na Escócia.

A ministra Julie Bishop mencionou os desafios para "as normas e convenções" internacionais na região do Pacífico e as ameaças claras à "ordem internacional baseada em regras".

Segundo os ministros, as ameaças em questão justificam uma maior cooperação na área de defesa e segurança entre a Austrália e o Reino Unido.

Gavin Williamson reiterou o novo compromisso da Inglaterra na região Indo-Pacífica, inclusive os esforços para colocar suas forças navais na região.

"Estamos esperando posicionar o HMS Queen Elizabeth no oceano Pacífico e navegar lado a lado com navios australianos", afirmou Williamson.

O porta-aviões HMS Queen Elizabeth é o principal navio da Marinha Real britânica, sendo seu maior navio de sempre, ele é capaz de carregar até 60 aviões.

Nos últimos anos, a China tem destinado muitos recursos para disputar muitos recifes no mar do Sul da China, formando ilhas artificiais que apenas agravam a disputa territorial na região.

O mar do Sul da China é um caminho marítimo crucial através do qual passam anualmente mercadorias no valor de uns $ 3,4 trilhões, segundo o canal CNBC.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas