Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Polônia decide acelerar processo de compra de sistema de mísseis dos EUA

O Ministério da Defesa Nacional polonês decidiu acelerar o processo de aquisição de sistema de mísseis de longo alcance dos Estados Unidos, informou o Exército polonês.


Sputnik

Anteriormente, foi relatado que a corporação da indústria de defesa dos EUA Lockheed Martin foi escolhida pela parte polonesa para prosseguir as negociações sobre a implementação do programa do sistema de mísseis Homar. Até agora, as negociações sobre o fornecimento de lançadores foram realizadas com um consórcio liderado pelo Grupo de Armamentos da Polônia.

Exército polonês e norte-americano em exercícios Anaconda da OTAN na Polônia, em 6 de junho de 2016 (foto de arquivo)
Militares poloneses e norte-americanos em exercício militar © AP Photo / Alik Keplicz

"A decisão do ministro da Defesa, Mariusz Blaszczak, com a finalidade de acelerar o fornecimento de divisões de módulos de combate dos lançadores de sistemas de mísseis Homar, o Ministério da Defesa decidiu interromper o processo, que continua de acordo com o procedimento adotado em 2015, e iniciar imediatamente negociações com o governo dos EUA", disse.

"Mudar a fórmula e acelerar o programa Homar garantirá a entrega oportuna dos equipamentos e assegurará as capacidades de combate das forças de mísseis e artilharia nessa área", acredita o militar polonês.

Nesta semana, o Ministério da Defesa informou que uma sua delegação, liderada pelo vice-ministro Sebastian Khvalk, responsável pela modernização técnica do Exército polonês, viajará aos Estados Unidos para iniciar negociações sobre a implementação do programa Homar.

A razão para abandonar o método anterior para obtenção de lançadores foram, em particular, as expectativas financeiras de potenciais contratantes, inclusive estrangeiros, que excediam os fundos que o Ministério da Defesa alocou para esse propósito no momento em que o programa foi lançado, no início de 2015.

Durante as negociações, não foi possível chegar a acordo sobre todos os termos do contrato, bem como o cumprimento dos requisitos para proteger os interesses fundamentais do Estado.

No âmbito do programa Homar, à Polônia será entregue um sistema de mísseis capaz de atingir alvos a uma distância de até 300 quilômetros.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas