Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Polônia decide acelerar processo de compra de sistema de mísseis dos EUA

O Ministério da Defesa Nacional polonês decidiu acelerar o processo de aquisição de sistema de mísseis de longo alcance dos Estados Unidos, informou o Exército polonês.


Sputnik

Anteriormente, foi relatado que a corporação da indústria de defesa dos EUA Lockheed Martin foi escolhida pela parte polonesa para prosseguir as negociações sobre a implementação do programa do sistema de mísseis Homar. Até agora, as negociações sobre o fornecimento de lançadores foram realizadas com um consórcio liderado pelo Grupo de Armamentos da Polônia.

Exército polonês e norte-americano em exercícios Anaconda da OTAN na Polônia, em 6 de junho de 2016 (foto de arquivo)
Militares poloneses e norte-americanos em exercício militar © AP Photo / Alik Keplicz

"A decisão do ministro da Defesa, Mariusz Blaszczak, com a finalidade de acelerar o fornecimento de divisões de módulos de combate dos lançadores de sistemas de mísseis Homar, o Ministério da Defesa decidiu interromper o processo, que continua de acordo com o procedimento adotado em 2015, e iniciar imediatamente negociações com o governo dos EUA", disse.

"Mudar a fórmula e acelerar o programa Homar garantirá a entrega oportuna dos equipamentos e assegurará as capacidades de combate das forças de mísseis e artilharia nessa área", acredita o militar polonês.

Nesta semana, o Ministério da Defesa informou que uma sua delegação, liderada pelo vice-ministro Sebastian Khvalk, responsável pela modernização técnica do Exército polonês, viajará aos Estados Unidos para iniciar negociações sobre a implementação do programa Homar.

A razão para abandonar o método anterior para obtenção de lançadores foram, em particular, as expectativas financeiras de potenciais contratantes, inclusive estrangeiros, que excediam os fundos que o Ministério da Defesa alocou para esse propósito no momento em que o programa foi lançado, no início de 2015.

Durante as negociações, não foi possível chegar a acordo sobre todos os termos do contrato, bem como o cumprimento dos requisitos para proteger os interesses fundamentais do Estado.

No âmbito do programa Homar, à Polônia será entregue um sistema de mísseis capaz de atingir alvos a uma distância de até 300 quilômetros.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas