Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Por meio do Egito, Hamas pede a Israel que cesse fogo na Faixa de Gaza

O movimento Hamas pediu a Israel que cesse fogo por meio da mediação egípcia e prometeu interromper os confrontos na fronteira como parte do acordo, disse uma fonte política israelense à Sputnik.


Sputnik

"O Hamas teve um grande golpe ontem e o movimento pediu um cessar-fogo através do Egito, prometendo interromper o 'terror incendiário e nas cercas fronteiriças'", disse a fonte.

Serviço de segurança do Hamas inspeciona o local de uma explosão na terça-feira que ocorreu quando o comboio do primeiro-ministro palestino, Rami Hamdallah, entrou em Gaza pela passagem de Erez para Israel.
Serviço de segurança do Hamas inspeciona o local de uma explosão que ocorreu na terça-feira quando o comboio do primeiro-ministro palestino entrou em Gaza © AP Photo / Adel Hana

Segundo a mesma pessoa, Israel considera o Egito como fiador da implementação do cessar-fogo.

"Os egípcios são os garantidores nesta questão, mas em qualquer caso, o desenvolvimento da situação dependerá de ações reais. Se o Hamas violar o cessar-fogo, pagará um preço ainda maior", acrescentou a fonte.

Esses arranjos foram alcançados após bombardeios maciços das instalações do Hamas no enclave, que se seguiram ao assassinato de um soldado israelense na sexta-feira.

Este foi o segundo cessar-fogo entre Israel e o Hamas, coordenado pelo Egito nas últimas duas semanas. No último sábado, a Força Aérea de Israel atingiu dezenas de alvos na Faixa de Gaza, enquanto o Hamas, apoiado pelo grupo da Jihad Islâmica, disparou cerca de 200 foguetes e projéteis no sul de Israel.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, classificou esses ataques aéreos na Faixa de Gaza como os mais difíceis desde o início da operação militar no enclave em 2014. Ele ameaçou o Hamas com novos ataques caso o grupo continuasse sua ofensiva contra Israel.

As hostilidades entre os israelenses e os palestinos perto da fronteira de Gaza aumentaram desde o final de março, durante a chamada Grande Marcha de Retorno. Os tumultos na fronteira são acompanhados de tentativas de incendiar pontos em Israel.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas