Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Segundo protótipo do Gripen NG perto do primeiro voo

A Saab está se preparando para voar o segundo e terceiro protótipos do seu JAS 39E Gripen NG.


Tony Osborne | Aviation Week | Poder Aéreo

As duas aeronaves, de codinome 39-9 e 39-10, devem voar “em breve”, disse Jonas Hjelm, vice-presidente sênior de aeronáutica da companhia, a jornalistas.

Saab Gripen E, 39-8. Equipado com um míssil ar-ar IRIS-T em cada ponta da asa, e quatro pilones sob as asas e o pilone central na fuselagem
Saab Gripen E, 39-8. Equipado com um míssil ar-ar IRIS-T em cada ponta da asa, e quatro pilones sob as asas e o pilone central na fuselagem

Imagens mostradas pela empresa revelaram que 39-9 estava em grande parte completo e estava passando por pintura na fábrica da empresa em Linköping.

Testes de voo com a primeira aeronave, 39-8, que voou pela primeira vez em junho do ano passado, continuam, com a aeronave dando suporte a testes de expansão do envelope de voo.

Mais recentemente, a aeronave tem voado com pilones sob as asas produzidos pela RUAG Aerostructures da Suíça, enquanto os mísseis ar-ar IRIS-T foram montados nos lançadores de ponta das asas. O IRIS-T será o principal míssil ar-ar de curto alcance da aeronave no serviço sueco.

Os testes de voo com pilones abrirão o caminho para futuros testes de transporte e liberação de armas e tanques de combustível.

À medida que os novos jatos se juntam ao programa de testes, eles serão equipados com os sistemas de guerra eletrônica, radar e outros sensores. O radar Leonardo Raven ES-05 já está sendo testado no jato de demonstração 39-7, disse Hjelm.

Hjelm disse que a abordagem da empresa ao software embarcado – a de separar o software crítico de voo dos sistemas táticos – valeu a pena, com 39-9 sendo equipado com hardware de computador mais potente. O processo levou semanas e dias em vez de meses, como aconteceu com outros fabricantes de caças.

“Isso nos permite ser muito mais rápidos e nos dá uma vantagem”, disse Hjelm.

Hjelm expressou desapontamento com a recente decisão eslovaca de selecionar o F-16 Block Block 70 da Lockheed Martin sobre o modelo Gripen C/D. É a segunda decepção para o programa em vários meses depois que a Croácia, amplamente cotada para ser cliente do Gripen, optou pelos F-16 de segunda mão de Israel. Hjelm insistiu que a Saab tinha um forte roteiro de desenvolvimento para o modelo anterior, apesar do desenvolvimento do Gripen NG. A atualização recente de software MS20 adicionou a integração de mísseis MBDA Meteor à Força Aérea Sueca. O MS20 foi também adotado pela República Checa.

Também há planos para introduzir um radar ativo de varredura eletrônica (AESA) ao Gripen C/D, embora Hjelm não detalhasse a fonte do radar.

Hjelm também sugeriu que os EUA e o Reino Unido poderiam ser clientes em potencial para sua plataforma Gripen Aggressor desarmada, que a empresa tem comercializado para operadores comerciais de plataformas de jatos rápidos para apoiar o treinamento de Red Air e agressores.

A cooperação com o Brasil continua com a recente abertura de uma instalação de aeroestruturas para apoiar o desenvolvimento do Gripen no país. Hjelm disse que tanto o Brasil quanto a Suécia estavam discutindo como padronizar ainda mais a configuração dos jatos que estão sendo comprados pelos dois países. O Brasil está buscando introduzir um cockpit de exibição de área ampla (WAD) desenvolvido pela AEL Sistema. A Suécia, por outro lado, está buscando um cockpit mais tradicional com três monitores multifuncionais. Hjelm deu a entender que os dois países poderiam optar por uma configuração única de cockpit.

Comentários

Postagens mais visitadas