Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Trump: países da OTAN devem compensar EUA por seus gastos em defesa

Presidente os EUA, Donald Trump, reclamou mais uma vez sobre os altos gastos de Washington para a manutenção da OTAN.


Sputnik

"Muitos países da OTAN que, segundo se espera, nós defendamos, não só descumprem os seus compromissos [de gastos em defesa] de 2% [do PIB], (que já são baixos), mas também atrasam suas contribuições [para aliança] durante anos. Será que eles vão reembolsar os EUA?", escreveu Trump em sua conta no Twitter, a caminho de Bruxelas, onde será realizada a cúpula da OTAN.

U.S. President Donald Trump delivers remarks at the start of the NATO summit at their new headquarters in Brussels, Belgium
Donald Trump © REUTERS / Jonathan Ernst

A cúpula da OTAN em Bruxelas será realizada nos dias 11 e 12 de julho, tendo como pano de fundo as discussões entre os EUA e os países europeus em torno da saída de Washington do acordo nuclear com o Irã, bem como das novas tarifas norte-americanas sobre aço e alumínio.

Trump, de forma recorrente, pressiona os seus aliados da OTAN a cumprir os acordos de 2014, segundo os quais os países se comprometem a dedicar pelo menos 2% do PIB aos gastos com defesa. Se esses compromissos não forem cumpridos, Trump ameaça reduzir a participação dos EUA em programas de defesa do bloco militar.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas