Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Forças especiais afegãs libertam 61 presos de prisões talibãs

As forças especiais do exército do Afeganistão libertaram 61 presos, a maioria deles civis, de duas prisões dos talibãs na província de Helmand, no sul do país, informaram nesta sexta-feira as autoridades afegãs.


EFE

Cabul - A operação de resgate teve início na noite de ontem no distrito de Kajaki, uma área insegura da província, em duas prisões dos talibãs onde eram mantidos os presos, indicou o Ministério da Defesa afegão em comunicado.

Resultado de imagem para Helmand
Tropas afegãs em Helmand | ABDUL MALIK/REUTERS

A operação, que foi executada com base em informações de inteligência no terreno, acabou com a morte de dois insurgentes que faziam a guarda dos calabouços e a detenção de outros sete suspeitos, explicou o ministério afegão.

Além disso, o governo de Helmand detalhou, através do escritório de imprensa, que "quase todos os prisioneiros libertados eram civis", e que entre eles havia alguns maiores de 60 anos e crianças com entre 11 e 15 anos.

"Os prisioneiros foram bastante torturados e receberam maus-tratos dos talibãs", disse o escritório do governador.

As forças de segurança afegãs realizaram durante os últimos meses operações similares em prisões insurgentes, a última delas de relevância no mês passado, também em Helmand, onde libertaram 58 pessoas.

O fim da missão de combate da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão no início de 2015 supôs um aumento do controle territorial dos talibãs em várias regiões do país, especialmente em províncias como Helmand.

De acordo com informação difundida no final do ano passado pelo Inspetor Especial Geral para a Reconstrução do Afeganistão (Sigar, na sigla em inglês) do Congresso dos Estados Unidos, o Executivo afegão controla cerca de 56% do país, os talibãs dominam 11% e o resto é território em disputa.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas