Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

KC-30A MRTT australiano reabastece Rafales do Armée de l’Air

Um KC-30A da Real Força Aérea Australiana (RAAF) desempenhou um papel fundamental na assistência aos Rafales da Força Aérea Francesa, que vão participar do Exercício Pitch Black 18 pela primeira vez.


Poder Aéreo

O KC-30A Multi-Role Tanker Transport viajou da região do Oriente Médio para a Base Darwin da RAAF, reabastecendo ao longo do caminho três aeronaves Dassault Rafale da Força Aérea Francesa que estão participando do exercício Pitch Black.

Dassault Rafales da Força aérea Francesa são reabastecidos por um KC-30A Multi-Role Tanker Transport do Esquadrão No. 33 a caminho da Austrália, para participar do Exercício Pitch Black 2018 na Base Darwin da RAAF, no Território do Norte (Foto RAAF)

O coronel da Força Aérea Francesa (Armée de l’Air Française) Arnaud Brunetta, comandante do destacamento, disse que apesar de ter sido uma longa jornada para sua equipe ir para a Austrália, eles estavam animados em ter a oportunidade de treinar em um novo ambiente com tantas nacionalidades diferentes.

“O Pitch Black dá ao nosso pessoal a oportunidade de participar de trocas de trabalho com a ADF (Australian Defence Force), o que é importante para o crescimento profissional e pessoal”, disse o coronel Brunetta.

“Estamos orgulhosos de nossas aeronaves, os Rafale viajaram uma longa distância com mais de 20 horas de voo para chegar à Austrália sem problemas técnicos”.

Para chegar à Austrália, os três aviões Rafale e sua tripulação viajaram mais de 14.000 quilômetros.

Com mais de 4.000 militares, 140 aeronaves e de 16 nações diferentes, o Exercício Pitch Black 18 é a maior iteração do exercício do Território do Norte já realizado e será concluído no dia 17 de agosto.

FONTE: Real Força Aérea Australiana

Comentários

Postagens mais visitadas